A dor de não poder ser mãe

5.6.17
Sempre vivi aterrorizada pela possibilidade de não poder ter filhos, quis Deus que os tivesse e sou grata por isso.

Mas sei de pessoas que por vários motivos não o conseguem ser e por mais que não seja a minha realidade, acredito que deva ser dos maiores golpes para uma mulher.

Até porque existe uma grande pressão social para que a mulher seja mãe e muitas vezes damos por nós em perguntas indiscretas, "quando é que vais ser mãe?; Para quando um bebé?
Perdendo a noção de como aquelas perguntas podem afetar aquela mulher.

Depois de conhecer esta realidade de perto, muitas vezes evito estas perguntas inconvenientes pois sem querer posso estar a fazer sofrer alguém.

Deve ser uma dor muito forte!

Uma coisa é a mulher por opção não querer ser mãe, que para mim é super válido. Até porque nem todas as mulheres tem de ser mães.

Outra é ser obrigada a isso. Contudo mãe não é só quem gera mas sim quem cria com amor.

Todas as mulheres que não podem ser mães biológicas devem procurar outros caminhos. Pois o mais importante numa mãe é criar, é dar afectos, é educar.



No outro dia tive oportunidade de conhecer uma associação que ajuda crianças com carências afetivas. Basicamente tem a missão de encontrar para cada criança ou jovem sinalizado, uma família voluntária que pretenda ser um amigo p'ra vida. Proporcionando assim à criança momentos em família.  Ou então ajudar no processo de adopção, para quem tenha esse objetivo.

Vim de coração cheio e com imensa vontade de abraçar essa causa, mas tem de ser uma situação bem ponderada em família. Até porque crianças não são objetos decorativos, são para ser criados com amor e respeito.

Para todas as mulheres que passam por esta dura realidade o meu sincero respeito.






5 comentários:

  1. Por tudo isso, fiquei chocada quando vi a reportagem na tv, a semana passada, que o ano passado tinha sido o ano em que tinham havido que mais devoluções de crianças adotadas! E pior na sua maioria eram crianças até aos 3 anos :(...se o processo de adoção é moroso, se são feitos testes psicológicos aos futuros pais, se lhes são facultados todos os elementos da criança, se lhes é mesmo dada a possibilidade de conviverem antes da adoção, porque razão isso acontece? Que será destas crianças que voltam a ser abandonadas por quem as tinha escolhido amar?!
    Quando somos pais biológicos não temos escolha, aceitamos de coração e incondicionalmente o que nos calha na "rifa", mas quando somos pais de coração ainda temos a hipótese de escolher a quem amar...porque razão voltam a dececionar quem mais deles precisa?! Fico revoltada!!

    ResponderEliminar
  2. Deve ser uma dor muito forte quando uma mulher percebe que será difícil ou até impossível ser mãe.
    Não há nada melhor no mundo que gerar um bebé... e depois há quem os tenha e não os queira (não consigo perceber este facto) e esses bebés precisam tanto do amor de alguém...

    ResponderEliminar
  3. Sou uma mulher entre tantas que quis ser mãe e senti que o meu desejo poderia nunca ser concretizado. Não tem explicação o que se sente... Quem não passa por esta situação não dá valor o que é. Tive a sorte de ter um médico 5*****, ter amigas que me ouviam, ter uns chefes que entendiam o motivo das minhas ausências e tinha carta branca para faltar as vezes que fossem necessárias. Foram 3 longos anos com muitos períodos em baixo, muito choro, muita tristeza. Ao fim do 4º. tratamento de Fertilidade, quando menos contava que tivesse sucesso, engravidei de um embrião congelado. Ao fim de 2 anos, estava novamente grávida sem tratamento :). Sou uma mãe muito babada e orgulhosa de duas pestinhas lindas :).

    ResponderEliminar
  4. Olá Andreia,

    Tenho 25 anos, sonho com o dia que terei o meu bébe nas mãos.. embora toda a gente me diga que sou nova e que tenho imenso pela frente o meu coração aperta. Este ano fiz a minha consulta anual no ginecologista e segundo ele tenho "ovários preguiçosos", sim foram essas suas palavras e depois disso fui pesquisar o que poderia ser, quando obtive uma explicação ao termo dito pelo médico, foi como se alguém me tivesse tirado o tapete dos pés, como se o meu chão estivesse a desabar.. fez 2 anos que tento engravidar mas sem sucesso. A dor, a desilusão, a tristeza que me invade por saber que não consigo e não sei se vou conseguir invade-me dia após dia! Todos os dias vejo a sua storie no Instagram e o sorriso dos seus filhos alegram-me o dia!

    ResponderEliminar
  5. Lindo texto! Sou uma mulher que não pode gerar um filho. Uma anomalia genética me impedia de engravidar naturalmente. Além disso, não encontrava um companheiro de vida e o tempo foi passando. Aos 39 anos, a coisa piorou e fui obrigada a tirar o útero. As hemorragias eram constantes. Sim, é uma dor sem fim! Não descarto adotar uma criança, porém engravidar de quem você ama, parir, amamentar e reconhecer você naquela pessoinha é algo que nunca vou viver.

    ResponderEliminar