Mulher moderna

17.12.18
Portugal está cada vez mais cheio de marcas giras!!

A Miclair valoriza a elegância e a sofisticação da mulher moderna que tantas vezes concilia a vida profissional com a gestão familiar, não descurando os programas com amigas.

As noites agora estão cheias de jantares e festas por isso é uma boa oportunidade para espreitarem o site.

Tal como eu vão adorar o design original de cada peça.

E existem muitas peças a 30%!!







Miclair 

A revolta de um futuro ingrato

13.12.18
Das coisas mais assustadoras na vida é o futuro, nunca sabemos qual a melhor decisão ou como será o dia de amanhã.

E é esse futuro que muitas vezes nos atormenta para viver um presente feliz!

A felicidade depende de nós e temos de ser nós a lutar por ela pois caso contrário nada acontece e corremos o risco de viver uma vida infeliz mas depois existem tantos outros factores que dependem de terceiros e de circunstâncias que não conseguimos controlar.

Certezas ninguém tem mas cabe a nós fechar os olhos e lutar para que num futuro tudo seja diferente.

Confesso que nunca tive medo do futuro, primeiro porque penso que comigo nunca vai acontecer algo de menos bom (talvez seja egocentrismo ou então a forma que encontro para me escudar de uma realidade que tantas vezes me chega à porta) depois fui "obrigada" a pensar e a viver o presente e é isso que me tem afugentado das sombras da vida.

Quando o T nasceu percebi que de tudo o que mais assustava era o seu futuro, porque eu como mãe posso dar-lhe tudo e todas as ferramentas para que ele tenha um desenvolvimento o mais típico do "normal" mas tenho consciência que não posso viver uma vida que lhe pertence.

Hoje, ele é uma criança encantadora, com um brilho no olhar único e com um sorriso que move até aqueles corações mais duros mas ele vai crescer e vai perder naturalmente a sua graça de criança, vai precisar de mostrar que tem valor e que acima de tudo tem um lugar nesta sociedade.

Vamos enfrentar a adolescência, a maldade das pessoas, os olhares indiscretos, comentários inoportunos e tantas portas que se fecharão...

E não, não sou eu a querer ser pessimista, mas sim a ter consciência do mundo que vivemos. Contudo vivo bem com estes meus medos porque a minha forma de estar é mais forte que tudo isto.

E eu cá estarei de mãos dadas com o meu filho para enfrentar estes rente pedregulhos que se atravessarão no nosso caminho.

Isto tudo porque infelizmente tive conhecimento que existe um caso numa escola no nosso país que não deixa avançar uma aluna para o 10º ano porque tem o "azar" de ter o cromossoma a mais. Como é possível? Isto é revoltante!!

"era a informação de que a minha filha deveria sair da escola no fim do ano, se quiser ficar, pode, mas teria que repetir o 9º ano até ao fim da sua escolaridade, seguir para o 10º ano é que não.

Gentis! Devia ser o momento em que devia ter agradecido, nem sei porque não o fiz. Pode repetir o 9ºano com outro grupo até fazer 18 anos e depois ir. Que ideia magnifica, solução mega pedagógica, não fossem professores diria que nunca tinham ouvido falar nesta coisa da pedagogia.

A conversa além de inesperada foi das mais estranhas que já tive, ainda a estou a digerir. Fui ainda informada de que há um homem "mau" que trabalha no ministério da educação alemão, que proíbe que a Vera siga para o 10º ano. Este Senhor mau no ministério lá longe deixou claro que, se a aluna, que frequenta a escola desde os três anos ousar pôr o pezinho no 10º ano a escola será invadida de uma tal fiscalização que retirará a autorização de passar aos alunos futuros diplomas de 12ºano.

Tão mau, mais mau não há. Sem rei, nem roque, este senhor provavelmente nunca ouviu falar de Convenção dos Direitos da Pessoas com Deficiência (CDPD), deve até achar, se é que esta história é verdade, que há pessoas de primeira e pessoas de segunda. Saliento que tanto Portugal como a Alemanha assinou este acordo vinculativo"


Não são palavras minhas mas podiam ser pois tal como esta mãe também eu tenho um filho com necessidades especiais.

É duro! Muito duro!

Nós pais damos tudo o que podemos e o que não podemos, os nossos filhos perdem horas da sua infância para se igualarem aos seus colegas e depois alguém ignorante, que não dá a cara, acaba com sonhos de uma vida e descrimina uma pessoa da forma mais dura e ingrata que há.

Há coisas que não entendo e enquanto mãe posso garantir que vou lutar até as forças me faltarem!

Força Verinha, vamos com tudo e cá estaremos para te ver entrar com o pé direito no 10ºAno.

Partilhem esta situação!!








A carta ao Pai e à Mãe (Natal)

12.12.18

Era uma vez um menino, que como tantos outros meninos, foi convidado na escola a “escrever” uma carta ao pai natal, uma vez que se aproximava uma data tão esperada e especial para os meninos da sua idade (e não só).

Mas aquele menino, pensou, pensou, pensou e decidiu que não queria “escrever” uma carta ao pai natal… afinal de contas não era o pai natal que lhe poderia trazer o que mais o fazia feliz neste natal… Perante esta decisão, a professora perguntou ao menino, que trabalho ele gostaria então de fazer em vez de escrever a carta ao pai natal: - “quero escrever uma carta ao pai e à mãe”, respondeu.

Muito bem, vamos então escrever uma carta ao pai e à mãe, o que lhes queres tu dizer? – perguntou a professora ao menino.

O menino muito decidido, começou então a dizer: “Olá papá e mamã, como acham que me portei este ano? Eu acho que sem ser algumas vezes em que não quis tomar banho e que escondi os brinquedos do mano, me portei muito bem… Estive a pensar e acho que o meu quarto já está cheio de brinquedos, já tenho os meus preferidos. A professora diz muitas vezes que os pais deviam dar mais atenção aos filhos e passar mais tempo com eles… Sabem, eu acho que ela tem razão. Neste natal, gostava de vos pedir que brinquem mais comigo, com tempo e paciência, que me levem a passear ao parque e estejam lá mesmo comigo, por vezes não vos sinto lá. Sinto falta do vosso colo, das cócegas que provocam gargalhadas, que olhem mais para mim e para o mano do que para o telemóvel. Preciso que tenham mais paciência, sabem que quando gritam, eu fico nervoso?! E isso deixa-me mesmo assustado… Também gostava que acreditassem mais vezes em mim! Gostava que saltassem comigo na cama aos sábados de manhã e me ensinassem a fazer bolachinhas de chocolate. O meu coração enche-se quando me dizem que gostam de mim e que se sentem orgulhosos de mim cada vez que marco um golo no futebol. Também vos quero pedir que sejam mais amigos e discutam menos um com o outro. Não gosto de ir para a cama e ver que estão zangados um com o outro. Ser crescido não parece ser assim tão divertido. Por agora é tudo, se não conseguirem nenhuma destas coisas, ou menos escolham um jogo para podermos jogar todos. Não quero brinquedos para me ocuparem. Acham que exagerei nos pedidos? Se o pai natal visse isto, talvez dissesse que sim… mas não custa tentar! Amo-vos muito. “
Este menino ainda não sabia escrever todas aquelas palavras, foi a professora que transcreveu as suas e ao perceber o quanto aquela carta poderia ser importante, decidiu chamar cada menino para que também pudesse escrever a sua carta ao pai e à mãe, no Natal.

Esta história, pode repetir-se em cada uma das nossas casas, experimentando fazer este exercício com os seus filhos que já se conseguem exprimir, paralelamente à carta ao pai natal. Talvez fique surpreendido com os pedidos que eles irão fazer. Acredito que a maioria estarão ao seu alcance.

As crianças são simples, na sua essência, precisam de pouco para serem felizes. A comunicação social e a publicidade, impõe às crianças, necessidades que eles não têm. E nós, adultos, permitimos que o consumismo domine o nosso dia a dia, contribuindo para que as crianças sintam que o muito é sinónimo de melhor. Esquecemo-nos muitas vezes que o menos pode ser mais.

Então, neste natal, reconecte-se consigo e com a sua família, decida em consciência relativamente aos presentes que irá oferecer (lembre-se que o essencial custa pouco) e oiça a voz das crianças, elas levam-nos sempre para a simplicidade das coisas. 

Look
BabybyPiki
A
lecrim
Pés de Cereja
Fotografia 
Centrimagem 


Festas Felizes!

Com regras e com amor,
A vossa psicóloga,

Ana Trindade

O Vídeo

11.12.18
Montar a árvore em nossa casa é sempre um momento especial na nossa família.

E são estas recordações que ficam para sempre :)



O Natal já chegou

10.12.18
O Natal já chegou a nossa casa!!

Confesso que já andava angustiada por ainda não sentir o Natal em nossa casa mas a vida acelerada dos últimos tempos não nos deixou grande margem para a montar antes contudo da quinta-feira passada não passou.

E foi tão bom sentir toda aquela felicidade nos meus filhos, à medida que crescem começam a ter maior noção do que é o Natal e é taõ bom ver o lado ingénuo das crianças.

O T e o FM não pararam de dizer "É Natal, É Natal". E pela primeira vez foram eles que meteram as bolas na árvore, o pai montou a estrutura e eu decorei a casa.

Claro está que depois de eles decorarem a árvore, só uma parte estava com bolas. Que vontade de rir eu tive...

Deixei que eles fossem jantar e de uma forma discreta espalhei as bolas de uma forma uniforme.

E desta forma começou o Natal na nossa casa!




Look | Puro Mimo 


Este arranjo enche qualquer casa.
My Flower Box




O nosso postal de Natal

6.12.18
Há imagens que valem mais que palavras.

Os sorrisos e o brilho no olhar do T e do FM mostram na perfeição o que foi fazer estas fotografias.

A sessão de Natal já começa a ser tradição na nossa família, é giro ver todos os anos o quanto cresceram e depois aproveito imensas fotografias para oferecer.

Não existe melhor presente que uma fotografia na minha opinião.

Uma vez mais escolhemos a Centrimagem para fotografar o que será o nosso postal de Natal. O estúdio estava com cores quentes, onde se sentiu o verdadeiro espírito de Natal.






O look foi escolhido com muito cuidado e carinho e será o que vai ser usado na noite da consoada.

Há uns tempos que a marca BabybyPiki marcou-me pela sua história e força e esta seria a escolha perfeita para aconchegar ainda mais as nossas almas e a da querida Cláudia que tanto merece o nosso abraço.




Para conjugar os calções optei por uma camisa branca da Alecrim, uma marca também portuguesa e muito querida na nossa família.



E nos pés as clássicas carneiras da Pés de Cereja que combinam na perfeição com este tipo de look.

Confesso que adorei todas as fotografias e foi muito difícil escolher as mais giras para vos mostrar por isso mostro-vos quase todas.

A um passo do fim

5.12.18
Passem os anos que passarem o meu coração em Dezembro e Junho baterá sempre de forma diferente.

Ainda estava eu atordoada com tudo o que me aconteceu quando numa conversa com uma mãe conheci o método.

E pela primeira vez tive a certeza que o meu filho poderia ser igual a todas as crianças, tive esperança, muita! O meu coração disse-me que o nosso caminho era por ali.

Tive quatro meses para estudar sobre este método de estimulação intensivo, li muito, vi casos reais, e fui à procura de muitas opiniões. Encontrei muitas a favor e outras contra. Mas fui em frente, ouvi o coração, mesmo que isso implicasse um grande esforço monetário.

Até hoje não me arrependo mas tenho consciência que só por si o método não é infalível, é sim um conjunto de terapias que tornam este método infalível.

É uma equipa multidisciplinar a trabalhar semanalmente com o T em todas as frentes para que o T tenha os melhores resultados possíveis.

Contudo sei que o T é a parte integrante e a principal para este sucesso pois sem ele nada disto seria possível.

Estamos a um passo do fim deste programa, vamos percorrer agora a pior fase do processo a mais dura, aquela que já não se aprende de forma tão rápida mas estamos todos prontos para uma vez mais remarmos todos para o meu lado.

O T embora com sono uma vez mais deu tudo o que tinha e o que não tinha para uma avaliação excelente. Está de parabéns pelo seu desenvolvimento tão próximo da idade real!!







Sei o quanto ele merece todos estes aplausos, pois é a ele que lhe é roubado horas de brincadeira por uma causa maior.

A meio gás

4.12.18
A começar a semana ainda a meio gás.

Chegámos ontem e ainda nos sentimos meio "abananados".

São vividas emoções muito fortes, uma ansiedade sem igual o que nos desgasta imenso física e psicologicamente.

Confesso que queria muito escrever-vos sobre os dias da avaliação mas são 19h e ainda me encontro a trabalhar.

Preciso de ir fazer compras para casa pois tenho o frigorífico e a dispensa a 0 e acima de tudo preciso de abraçar os meus filhos.

Conto amanhã escrever-vos sobre a nossa viagem com a cabeça mais em ordem.

Até amanhã




Trendy Bazaar 

E estas botas maravilhosas da Trendy Bazaar ?

Agenda de Lazer #11

30.11.18
Amanhã começa o mês mais mágico de todo o ano.

Um mês cheio de atividades, de luzes, de concertos e de muito brilho.

Confesso que o mês é pequeno para tanta coisa que quero fazer :)

Aqui vão algumas sugestões:

Lisboa

Conto de Natal - Teatro da Luz (Sábado às 16h e Domingo às 11h).10€

Glum – O dia em que o Amor acabou - Estúdio Âmago (Sábado e Domingo às 16h). 10€

Mercado de Natal - Campo Pequeno. Das 11.30h às 21.30h - Gratuito

Floresta Mágica - Almada Fórum (podem ver tudo aqui) - Gratuito

Alice e o País das Maravilhas no Gelo – Alegro de Alfragide – Sábado às 15h e às 18h e Domingo às 11h, às 15h e 18h. 16,5€.

Junto, espectáculo para bebés – Teatro da Trindade – Domingo às 11h. 6€

Pai Natal no Zoo - Jardim Zoológico - Sábado e Domingo das 10h às 17.30h. 21€(bilhete normal do zoo)

Porto

Porto Christmas Village - Alfândega do Porto - Gratuito

Sessão natalícia de ginástica e interação com cães- Sábado das 10.30h. 8.5€

Camilo, Um Camelo na Selva - Fnac Gaia Shopping - Sábado às 11.30h. Gratuito


O que os olhos não vêem, coração não sente

29.11.18
Já passaram seis meses desde a última avaliação. Parece que foi ontem que recebemos a  boa notícia que o T tinha atingido os 100% de idade neurológica.

Mas os meses que se seguiram não foram fáceis, as férias grandes estragaram todo o ritmo de trabalho mas em contrapartida deram-lhe um crescimento e uma aprendizagem que jamais se ensinará através de técnicas terapêuticas, de métodos ou de livros.

O T cresceu de uma forma que eu nunca tinha visto até então.

Em Setembro retomámos tudo e o seu recomeço não foi fácil (para todos).

O T voltou à sua terapeuta de sempre a AF e isso só por si foi uma leveza na nossa vida mas embora não falte amor nestes dois, houve um trabalho que teve que ser feito, tiveram de se alinhar as agulhas novamente, foi quase como um reaprender de algumas técnicas que já estavam solidadas.

O seu crescimento intelectual tem feito com que ele resista mais aos exercícios, deixou de ser o bebé que fazia tudo para e tornou-se numa criança com vontade própria.

Não que repreenda a sua atitude pelo contrário mas esta personalidade mais desafiadora faz com que  alteremos as metas e objetivos a que nos tínhamos proposto para o semestre.

Sábado voltamos a fazer mais 300kms por algo que eu acreditei há quatro anos, mas pela primeira vez levo tranquilidade no coração, vou sem medos do que possa ouvir mas mais confiante com o que tenho em mãos.

Sei o quanto a AF se esforçou para voltar ao ritmo (que tinha sido deixado durante 6 meses) e tenho consciência de todas as estratégias que foram utilizadas para que tudo fosse comprido da melhor forma.

Não houve retrocessos mas sim caminhos desalinhados pelo meio, muitas birras pelo meio e acima de tudo muita calma no meio disto.

Tanta que a última frase do T é "Calma Pipa". Mas mais que as palavras é a forma como o diz. É impossível não chorar a rir com a expressão.

O sonho continua cá e sei que já falta pouco para olhar para trás e perceber que este foi o nosso melhor caminho.

Sábado fazemos as malas e arrancamos para uma avaliação que pode ter tanto de tudo como de nada mas tenho como certo que tenho o mais importante e que os meus olhos e coração serão sempre os melhores avaliadores.






Já vos disse que adoro vestidos?

28.11.18
Gosto mais de vestidos do que de calças mesmo com frio.

Este vestido, foi um daqueles amores à primeira vista. De linhas direitas, confortável e acima de tudo versátil.

A 2 Tons está com uma coleção muito gira e que vale a pena espreitar :)



Para o dias mais frios este casaco de cor neutra é perfeita e dá com todas as cores.
2 Tons 





De molho em (casa)

27.11.18
Comecei no Domingo por ficar doente e ontem foi a vez de o T também ficar.

Embora não estando a 100% tive de ganhar aquela força que só nós mães temos, respirei fundo, levantei-me e peguei nele ao colo, para que ele sentisse todo o aconchego que precisava.

A noite foi passada agarrada a ele, a controlar a febre. De manhã mais estável perguntei se queria ir à escola, ao qual respondeu que "não".

Saí para uma reunião que tinha e voltei assim que consegui, desde então que não saí mais do perto deles.

Confesso que me soube bem, tê-los só para mim, a um ritmo lento, sem grandes horários e obrigações.

Brincámos, dançamos, cantámos todo o tempo e sempre de pijama vestido.

O T melhorou relativamente e alinhou em todas as minhas brincadeiras.

Foi uma terça-feira a saber a Domingo e embora doente foi muito divertida.

Os pijamas do T e do FM são de uma marca nova, 100% portuguesa, de grande qualidade e que aposta no conforto.

E muito quentinhos.

São da Giotto e podem ver toda a coleção de homewear, underwear e de maternidade no site. E ao meteres o código tomasmyspecialbaby ganhas 10% de desconto imediato.

Mais uma ideia para o Natal :)




Pijama | Giotto



Floresta Mágica

23.11.18

Chegámos à altura mais mágica do ano.

As ruas e as casas enchem-se de luzes e os dias começam a ser curtos para tantos programas divertidos que esta quadra nos dá.

São passeios a respirar o ar frio e a ver todas as luzes que iluminam a cidade, é a carta ao Pai Natal, são os teatros, os carrosséis...tanta coisa....

Nós começamos o Natal da melhor forma e a fazer uma coisa que para os mais novos é a mais importante de todas: aproveitámos a chuva para ir entregar a carta ao Pai Natal e dar oficialmente as boas vindas à época natalícia, com a ajuda das atividades que o Almada Forum pensou especialmente para os mais pequeninos.




Fomos assistir ao primeiro de cinco concertos que vão estar no centro, o da Sónia Araújo. Foi o maior sucesso! O T dançou e bateu imensas palmas, já o FM embora muito atento e conquistado pela energia das canções nunca saiu do meu colo.




Depois foi vê-los a percorrer A Floresta Mágica, o parque de diversões onde brincaram e exploraram tudo ao máximo – andaram de Carrossel, de Comboio e tiveram oportunidade de ouvir contar, pela primeira vez, uma história com recurso a realidade virtual. Este ano o desafio do Gui, a mascote do shopping, é sensibilizar os mais novos para a importância da Natureza e por isso a história passa-se na Floresta e o resto vou deixar que descubram com os vossos pequeninos! Vão adorar!

Cuidadores Informais

22.11.18
Não sou cuidadora informal mas de certa forma consigo meter-me no lugar das mães, irmãs ou pais que o são.

Tratar e cuidar tem de ser uma opção, e não é pelo facto de não queremos institucionalizarmos que temos de ser penalizados pelo estado. A democracia é isto mesmo, é ter direito a escolher, sem quaisquer penalizações pela opção tomada.

Quem cuida não pode não ter dinheiro para sobreviver, não pode não ter carreira contributiva, não pode não ter período de descanso só porque decidiu optar por cuidar.

É urgente regulamentar o cuidador informal!

Felizmente não tive de dedicar-me a 100% ao T mas podia ter tido essa necessidade, contudo foi preciso fazer alterações a nível profissional. Atualmente trabalho, mas na empresa do meu pai, pois caso contrário não o conseguia fazer porque é preciso acompanhar nas terapias e isso a médio/longo prazo torna-se incompatível com um trabalho das 9h às 18h.

Também eu sofri as mudanças financeiras que essa decisão implicou.

Este é um assunto delicado, de grande complexidade e triste por isso não é falado, esconde-se no nosso tapete de casa mas é importante levar este assunto mais além.

Existem 800.000 cuidadores informais em Portugal a sofrer em casa por não terem dinheiro para darem ainda mais a quem cuidam, sem perspectivas de futuro e sem horas de descanso, onde trabalham 24 horas sob 24 horas por uma força maior.

E onde está o nosso estado? Será que ninguém vê que isso é desumano? Vai contra todos os diretos humanos!

Será que o estado não percebe que estes 800.000 cuidadores dão fortunas ao estado todos os anos? Pois são estas pessoas que retiram dos hospitais e das instituições as crianças e pessoas com limitações que lhes faz pouparem  milhões para os seus luxos??

É preciso que haja justiça social! É uma questão social e que merece ser levada mais além.

Não existe formação gratuita para os cuidadores aprenderem mais sobre as várias patologias de quem cuidam, o que é simplesmente vergonhoso.

É um facto que o AMOR vence tudo, é o motor familiar e da humanidade mas o amor não mete dinheiro na mesa!
Sem dinheiro não se consegue cuidar bem.

Apenas um ordenado (quando existe) é um desgaste financeiro que vai mais além que o amor. Ter a noção que não se consegue dar mais porque não há mais dinheiro que chegue é um desgaste psicológico que pode causar danos incalculáveis.

Se sujeitarmos o nosso filho a fazer apenas o que o estado dá, nunca veremos nenhuma melhoria! Pois uma única terapia por semana não faz nada! Nem tão pouco minimiza o "problema".
Temos de ser nós, de forma particular, sem ajudas investir em terapias para que consigamos ver essas melhorias que tantas vezes nos dizem que não "há nada a fazer".

Existem crianças a receber 108€ por mês, quando na verdade se tivessem institucionalizadas gastariam ao estado 10.000€ mês. É assustador pensar nestes valores!

Família

20.11.18
A família é a que escolhemos mas a que também nasce connosco.

E é essa família que nos define enquanto ser humano, que nos dá alento para crescer e nos dá as bases necessárias para enfrentar as batalhas da vida.

É nela que vamos buscar as forças que nos faltam vezes sem conta.

Quando nascemos já temos personalidade mas é na nossa educação e nos valores que nos são transmitidos que nos define enquanto ser humano.

O ingrediente principal é o AMOR, tudo o resto arranja-se de alguma forma.

É com esta base que quero que os meus filhos cresçam, que se sintam seguros nos meu braços, e que saibam que é na sua casa que vão encontrar o seu porto de abrigo para as tempestades da vida.

Se lhes dou colo a mais, se vou ao seu encontro assim que lhes caí as primeiras lágrimas ou se passo noites a olhar para eles é um problema que é meu, mas acima de tudo o que quero é que percebam que é nos meus braços que vão encontrar a segurança e o conforto que precisam.

Não podemos depositar na escola a responsabilidade de os educar e de os fazer crescer, essa missão é nossa e cabe a nós mostrar os alicerces do ser humano. A escola da vida começa em casa!

Serão sempre as suas bases que irão definir o seu caráter e seus valores num futuro.

Não tenho medo de lhes dar colo, muito menos amor aos molhos!

Hoje no dia do Pijama, o dia do direito de crescer numa família, cabe a nós explicar aos nossos filhos a palavra família e o quanto eles são privilegiados em poder crescer junto do pai, da mãe, dos irmãos, avós, tios...

Infelizmente existem muitas crianças que assim que nascem estão desprotegidos do mundo pois a base falta-lhes.

Hoje contribuímos com a nossa casinha e fomos de pijama para a escola com aquele conforto que só se ganha na nossa cama.

Um abraço do tamanho do mundo para todas estas crianças.








Sem parar

19.11.18

Tenho tido uma vida super complicada, em que os dias parecem perder-se nas 1001 tarefas. Há dias em que me desorientada com tanta coisa para fazer.

Passei o fim-de-semana a trabalhar e parece que esta semana que entrou começou meio desgovernada

Mas no meio de tanta coisa ainda consegui arranjar algum tempo para vos mostrar mais um look que adoro para esta estação.

O vestido e as botas são da Trendy Bazaar






Trendy Bazaar


Uma ida (divertida) ao médico

16.11.18

É com o maior orgulho que recebi o convite para ser madrinha do Hospital dos pequeninos.

É um projeto organizado pela Associação de Estudantes de Medicina de Lisboa e tem como objetivo reduzir a ansiedade que as crianças com idades entre os 3 e os 7 anos sentem quando confrontadas com os médicos. Por outro lado pretende-se que a nova geração médica utilize os seus conhecimentos para ajudar as crianças a perderem o medo da "bata branca" de uma forma lúdica.

Assim sendo este fim-de-semana podemos levar os nossos filhos com os seus bonecos preferidos ao "hospital" para que sejam tratados.

O filho dos nossos filhos vai passar por várias estações, como a triagem, consulta, análises, cirurgia, farmácia…) de forma a que este fique curado.

A entrada é gratuita. E vai realizar-se no Pavilhão do Conhecimento das 11h às 19h

Vai ser uma autêntica diversão!

Bom fim-de-semana :)

Vejam o vídeo para verem um pouco como vai ser