Ter um filho com Trissomia 21

23.10.19
Ter o T não é muito diferente do que ter o FM ou a MC. Todos dão-nos dores de cabeça, todos fazem-nos rir e chorar e as preocupações, essas são as mesmas.

A diferença é nos estímulos que temos de procurar diariamente para que potencie o seu desenvolvimento. São as terapias, são os investimentos que se fazem, são as brincadeiras um pouco pensadas. É como se fosse uma luta constante por algo invisível mas que aos poucos se torna visível para todos.

É acreditar mais, é viver de uma forma mais intensa e viver o presente sem a sombra do futuro.

E o futuro.... o que é isso do futuro? Saberemos nós o que é na realidade? Será que eu sei o futuro do FM ou da MC? Não, e não vivo atormentada com isso.

Quem me garante que não terei preocupações maiores com eles? A vida é feita do dia a dia, tal como quando construímos uma casa, de tijolo a tijolo.

Ter um filho com necessidades especiais é viver dessa forma, é sonhar e lutar ainda mais. É não deixar que um simples diagnóstico nos rotule e nos trace o destino.


Não seria sincera se vos dissesse que não tenho medo, mas qual é a mãe que não tem medo? Tenho medos e muitos, não sei se as minhas decisões são as mais acertadas ou se não lhe exijo de mais.

Existem dúvidas sobre os caminhos a tomar e sobre a educação.

Se penso no futuro? Pouco, muito pouco. Sei que o futuro é feito do presente e eu estou focada nele e não no dia de amanhã. 

Quero que o meu filho seja autónomo, aceite na sociedade, que possa estudar sem ninguém duvidar, que possa andar livre de olhares indiscretos, que construa a sua própria família mas acima de tudo o que mais quero é que seja feliz!

Há dias que tornamos o impossível, possível, outros que apetece desistir mas depois fechamos os olhos e recusamos o futuro que a sociedade impõe aos nossos filhos.

Os medos existem, as preocupações também mas as vitórias essas são saboreadas até ficarmos sem saliva.

Ter um filho com necessidades especiais é isto, é viver intensamente, cheias de armas e de resiliência e de sonhos que nunca terão fim.

Vivemos uma vida (mais) intensa e no limiar de todas as emoções.

Mas somos muito Felizes!





9 + 1

22.10.19
Ao todo são 10 meses de descobertas.

Começa com uma simples risquinha que nos faz palpitar o coração e que nos faz rir e chorar ao mesmo tempo.

O som do coração passa a ser a nossa melodia preferida e vivemos ansiosas pela próxima vez que a voltaremos a ouvir.

Cada ecografia é um misto de sentimentos, entre o medo de estar alguma coisa menos bem e uma felicidade imensa de o vermos através de um écran.

Enjoamos, desejamos e vemos o nosso corpo ser transformado por um amor maior. Passamos de nome próprio a mãe em instantes.

Há quem goste e odeie. Aqui não existe o certo ou errado ou quem ame mais ou menos, depende sim de vários factores. Felizmente sempre tive gravidezes santas e como tal adoro. Não me custa ver o corpo a transformar-se porque para mim não existe nada mais grandioso que gerar uma vida dentro de nós. 

O terceiro trimestre é o mais duro, já nos sentimos muito pesadas, ficamos sem energia e a ansiedade de ter tudo pronto aumenta a cada dia.

Pelo meio somos assombradas pelos "se's": E se não corre bem? E se serei boa mãe? E se vou conseguir amar a dobrar ou triplicar? E se o parto corre mal? 

O segredo aqui é não pensar muito, e entregar a nossa vida ao universo.

O que é certo é que estes nove meses passam e a nossa vida muda em segundos. O nosso "eu" fica naquele bloco de partos e em simultâneo ganhamos um novo "eu".

Aprendemos a dois e a três a viver ali, da forma mais carnal e crua que existe.

Pelo meio estamos emocionalmente instáveis, sentimo-nos vulneráveis e somos engolidas por um cansaço que nos consome todos os dias mais um pouco.

Choramos e rimos, somos felizes e infelizes em simultâneo. E se tudo deixa de ter importância outras assumem uma relevância que nos descompensa por completo.

Vivemos grudadas num ser que depende nós e na esperança de voltarmos a ter identidade e uma liberdade que nunca mais chega.

É o espelho, é a pressão da sociedade para que voltemos a ser a mesma mulher que engravidou à  nove meses.

É uma luta connosco, com o nosso querer, com o que "fica bem" nos olhos dos outros, com as nossas vontades ou a falta delas.

Vivemos numa autêntica montanha russa mas com a certeza que não trocaríamos cada dor, cada olheira por nada. Afinal nunca fomos tão felizes e cheias de "tudo".


Centrimagem

New Closet

21.10.19
O frio chegou com tudo e acredito que os centros comerciais encheram-se de mães "desesperadas" a comprar roupa quentinha para os seus filhos.

Felizmente este ano antecipei-me e já tenho tudo ou quase tudo, como vos mostrei pelo Instagram.

Não fui a correr para as lojas mas mergulhei nos roupeiros de cabeça.

Confesso que já estava com vontade de fazer um "refresh" às roupas, começava a ter tudo muito desorganizado, pois fui comprando a roupa e as roupas de verão e de inverno começaram a ficar misturadas.

Aproveito sempre a mudança de estação para "limpar" e dar uma cara renovada aos roupeiros. O que não serve sai e o que já está velho também. Ficam as roupas novas e a roupa boa para se usar.

Considero-me minimalista, quanto menos tenho mais gosto, "detesto" roupeiros cheios, com roupa amontoada, que perdemos de vista e não usamos nada.

Gosto de olhar para um roupeiro e ver tudo. Há alturas que fico sem roupa mas prefiro recomeçar vezes sem conta do que acumular roupas que muitas vezes nos dão um vazio maior.

Frio e chuva podes vir mas vem com calminha porque as constipações e ranhos já chegaram cá a casa.

Antes

Depois

7 Parques Indoor para levar os filhos a gastar energia.

18.10.19
Parece que o tempo de chuva e de frio veio para ficar. Consequentemente começam os programas de mantas e sofás, mas nem sempre é fácil gerir os filhos dentro de casa. Eles acabam por se cansar e nós também.

É preciso reinventar quando o tempo não convida a grandes passeios ao ar livre. Apresento-vos algumas sugestões giras e que vão fazer as delícias do nossos filhos.
  • Anima Park - Cascais
  • Hubi Park - Lisboa
  • Toyland Park - Feijó
  • Micolandia - Lisboa
  • Bounce - Lisboa
  • Jumpers - Porto
  • Camelot Park - Matosinhos
Bom fim-de-semana!!


Os convites

17.10.19
Os convites são o espelho do evento seja ele qual for.

É ali que começa o início de tudo. A sua imagem acaba por desvendar um pouco do tipo de festa que vai ser, das cores presentes e até da decoração.

Para uns é algo simples e sem importância, para outros é complexo e a "peça" fundamental. Eu enquadro-me na segunda.

Para mim, não existe WhatsApp ou email que substitua o toque real do convite, o cheiro a papel, a textura.

Faço questão de dar em mão e só aqueles mais de longe é que envio por correio.

Conheci o Projeto Amor, ainda estava grávida, e assim que abri a sua página de Instagram, disse para mim, que seria Bruna a fazer os convites do Batizado da MC.

Eram delicados, transmitiam serenidade, originais e cheios de bom gosto.

Já um pouco "fora de horas", isto de ser mãe de três, tem destas coisas, quando dei por mim estava quase em cima do batizado e ainda sem convites.

Falei com a Bruna e pedi-lhe urgência máxima. Sempre muito disponível, atendeu sempre os meus pedidos, fizemos várias provas, até chegar a um que me fez suspirar.

Para quem procura convites românticos, originais, tem de conhecer o Projeto AMOR.




23 Dicas para organizar um Batizado de sucesso

16.10.19
Como católica que sou para mim faz todo o sentido batizar. É a entrada da criança na vida cristã.

Gosto de os batizar ainda muito bebés para que possam usar o nosso vestido de família. Um vestido comprido, com rendas, em tom pérola.

O T foi batizado com 6 meses, o FM com 5 e a MC vai ser com 4 meses. Nunca senti que tivéssemos "a nossa" igreja por isso sempre escolhi a igreja consoante o local do almoço.

Quero que cada meu filho tenha o seu dia, distinto um do outro. Neste momento já contamos com três igrejas especiais, segue-se mais uma a caminho.

E é incrível como o que tem de ser nosso, sempre será, mesmo que pelo meio a vida nos troque as voltas. Exemplo disso é a igreja onde vai ser o batizado da MC. Há 9 anos tinha visto aquela igreja e tinha-me apaixonado por aquelas talhas douradas mas em termos de logística tive de optar pelo Convento de Mafra, ao qual não me arrependo, mas aquela igreja ficou sempre no nosso coração. E nove anos depois a vida voltou a levar-nos para lá.

Organizar um batizado é bem mais simples que um casamento, contudo requer organização e minuciosidade.

Deixo-vos a minha lista guia que me ajuda na organização da preparação do grande dia.
  • Escolher os Padrinhos
  • Escolher o dia 
  • Definir o tipo de batizado que queremos (intimista ou maior)
  • Fazer a lista de convidados 
  • Estipular o orçamento
  • Escolher o local. A escolha de local deve ser avaliada consoante a altura do ano em questão, o número de convidados e o tipo de festa que queremos dar. Não existe o local certo ou errado mas sim o adequado para nós.
  • Escolher a Igreja/ Padre. É importante perceber se o padre da paróquia está disponível para o dia e a hora que queremos ou se é preciso tratarmos do padre.
  • Definir as horas.
  • Escolher o fotógrafo. Ter o registo fotográfico é das coisas mais importantes numa festa deste género porque vai ser através das fotografias que iremos eternizar o dia e mais tarde recordar.
  • Tratar dos assuntos burocráticos na igreja onde vamos casar
  • Caso não casemos na igreja da nossa residência. É necessário tratar com a nossa paróquia a transferência.
  • Marcar o curso de preparação de Batismo (Por norma há uma vez por mês em cada paróquia)
  • Verificar a hipótese de um possível coro para tornar a festa ainda mais bonita.
  • Convites (Devem ser enviados pelo menos um mês antes do dia)
  • Tratar da vela, toalha e concha
  • Escolher a roupa da cerimónia e a segunda roupa
  • Definir toda a decoração e catering (se for o caso)
  • Escolher o Bolo
  • Escolher as lembranças (Esta deve ser a parte em que nos devemos focar menos. Evitar custos desnecessários pois a maioria das pessoas não dá importância. As dezenas ou uma fotografia são um bom exemplo como lembranças)
  • Escolher a animação de crianças 
  • Escolher as roupas do núcleo familiar
  • Escolher as leituras, fazer o Missal e imprimir
  • Fazer as mesas e os respectivos marcadores 

É importante fazer uma lista com todos estes items para que nada falhe. O ideal é não deixar nada para a véspera para evitar o "stress".

Caso sintam que falta algo, digam-me, que acrescento.

Mas acima de tudo o mais impotante é viver este dia com os nossos familiares e amigos da melhor forma possível.

Batizado é sinonimo de festa, de vida e de felicidade!

Centrimagem 

Obesidade Infantil

15.10.19
Um bebé gordinho é sempre mais "fofinho", apetece apertar muito mais que um bebé dentro do seu percentil.

Por isso tantas vezes é relativizado e motivo de discordância na família, pois o que importa são aqueles refegos e a barriga de bebé.

E argumenta-se que quando crescer, logo estica.

Nunca escondi o prazer que o FM tem em comer, atrevo-me a dizer que ele é mesmo feliz a comer, e não é só doces, mas sim de TUDO!

É a criança que melhor come e que mais experimenta que conheço, não tenho qualquer problema de o levar a um restaurante porque sei que vai gostar de toda a amenta.

E tudo isto é óptimo se a felicidade que tem em comer não fosse proporcional ao seu peso.

Há uns meses para cá senti que o peso do FM excedia um pouco o "normal", comecei  a perceber pela roupa que lhe deixou de servir drasticamente e os números que tive de comprar a seguir.

Com a quantidade de informação que existe sobre a obesidade, tenho noção que é preciso educar os nossos filhos com os melhores hábitos alimentares pois a nossa atitude pode ter consequências mais tarde no seu bem estar.

Não é dietas, mas sim educar sobre o que comer e como comer. Os doces fazem parte da infância das crianças e não ambiciono retira-los mas sim dosear.

Se hoje tem uma festa, come mas no outro dia come snacks saudáveis.

Um vida equilibrada é uma vida feliz! Sem exageros, sem fundamentalismos.

Ainda hoje a Nutricionista Sandra Santos, mais conhecida pelas "Papinhas da Xica" disse que a forma como comemos enquanto somos são crianças vai comprometer o nosso corpo e metabolismo.

Vim da sua consulta mais consciente, com algumas ideias de snacks tão simples e saudáveis e que podem ajudar a saciar das gulodices.

São poucas as mudanças a implementar, são mais truques saudáveis que trouxe hoje.

Não quero o meu filho magro, não é isso que quero, não trouxe uma dieta mas sim ferramentas para o ajudar a comer de forma mais consciente.

Já tinha o livro da Sandra e adoro seguir as suas receitas simples e saudáveis. Identifico-me com a sua forma de estar por isso não tive dúvidas da a escolher como nutricionista dos meus filhos.

Daqui a um mês vamos ver se já temos um FM menos "bolinha".