Agenda de lazer #9

19.10.18
O fim-de-semana está aí à porta!! E o nosso vai ser muito intenso entre festas de aniversário e batizado.

O tempo deixou de convidar a tantos passeios ao ar livre por isso deixo-vos sugestões bem quentinhas para poderem ter um fds inesquecível!!

Lisboa

Teatro - Os Sete Cabritinhos - Auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro (7€)
Big Bang - Centro Cultural de Belém (2,5€ a 4,5€)
Lisboa em Voo de peixe - CCB ((2,5€ a 4,5€)
O Principezinho - Tetaro Bocage (7,5€)
Uma visita à fábrica que iluminou Lisboa - MAAT (2,5 a 7€)
Arte moderna e contemporânea em Belém - Museu Berard (2,5€  5€)
Viagem a tempos medievais - Fundação Da Batalha de Aljubarrota (3,5€ a 7€)
CurtoCircuito - MATT (até 7€)
Como se pode ser uma marioneta - Museu da Marioneta
Segredos, cofres e casas-fortes - Museu do Dinheiro - Grátis

Porto
Pequena Sereia - Teatro Sá da Bandeira (10€)
Extinção - O fim ou o início - Centro de Congressos da Alfândega do Porto (8€ a 12€)
Balleteatrinho - Coliseu do Porto (10€)


Bom fim-de-semana!!


O grande desafio de ser Mulher

17.10.18
Os tempos mudaram, o papel das mulheres na sociedade é visto com outros olhos, e se antes o papel da mulher era o de cuidadora, hoje é visto como o de empreendedora.

E tudo o que não atinge esse patamar não é visto com bons olhos, a sociedade é pouco tolerante para a mulher que decide acompanhar, educar e dedicar-se aos seus filhos mas depois em jeito de contrassenso condena a mãe que deixa o seu filho doze horas na creche por estar a trabalhar.

Hoje existe uma grande pressão para a mulher ser a Super Mulher, temos de ser óptimas donas de casa, mães presentes e ainda ter uma carreira em ascensão. Mas tudo isto não passa de teoria pois sejamos sinceras não se consegue desempenhar estes três papeis em pleno, isso implicava que fossemos robot's e que tivesses no activo 24h sob 24h.

Mas o segredo para a nossa sanidade mental, no meio destas exigências todas é que olhemos para os vários papéis e que estabeleçamos as nossas prioridades, de forma a encontrar o equilíbrio. Não é fácil! Chega a ser duro! Pois a mulher-mãe e a mulher profissional pouco se conseguem tocar, são caminhos distintos um do outro e duvido que alguém consiga dar 100% de si nos dois papéis pois há sempre um papel que sobrepõe ao outro.

Não há o certo ou errado, são opções que se  tomam, são modos de vida e ambos devem ser respeitados mas uma coisa é certa quando damos muito de nós à parte profissional a família recente-se e o mesmo acontece ao contrário.

É altura de aceitarmos os vários caminhos que uma mulher pode tomar mas também é preciso haver consciência que se queremos ser tão activas profissionalmente talvez não estejamos preparadas para ser mães.

Ser mãe é mais que uma palavra querida, é estar, é educar, é acompanhar os filhos e se queremos ser nós a comandar não conseguimos dedicar-nos ao trabalho a 100%.
É preciso ir buscar os filhos a horas, ajudar nos trabalhos, preparar o dia seguinte e isso só se consegue com tempo.

O caminho é feito por nós e temos de ser nós a decidir por qual queremos caminhar, sem medos e sem pressões da sociedade.

Os dois mundos não se conseguem em pleno por isso cabe a nós escolher o nosso caminho. Temos de levar as nossas convicções adiante sejam elas as que forem.

Independentemente do caminho que tomarmos o importante é estarmos felizes!




Olá Outono, mesmo sem roupa!

16.10.18
Os dias frios e a chuva estavam difíceis de aparecer e embora tivesse consciência que começava a estar na altura de pensar em botas, galochas e roupas de Inverno desvalorizava.

Entretanto as temperaturas na semana foram descendo consideravelmente, mas ainda pedia t-shirt's até que ontem o outono deu o "ar da sua graça".

Confesso que o meu cérebro, roupeiro e carteira não estavam já preparados para a nova estação, corri os roupeiros e nada, não havia nada de outono que lhes servisse, nem tão pouco sapatos.

Em contrapartida havia sandálias e t-shirt's em abundância...

Estava zero preparada para estas temperaturas e para esta chuva mas no meio do quase nada, encontrei umas calças de ganga super apertadas que mal cabiam ao FM, umas camisolas que tinha acabado de comprar no Kids Market, umas botas que eram do T e que serviram ao FM e uns ténis que  pouco apertavam tal é o pé gordo do T.

Foi quase como encontrar uma agulha no palheiro, consegui "safar" mas tinha a consciência que tinha todo um roupeiro vazio para preencher

Ontem à noite já arrumei grande parte das roupas de verão, deixei mesmo só uns básicos que ainda pode servir nesta altura que nem "é carne, nem peixe".

Dobrei cada peça de roupa, cheirei-a e revivi cada história que contava, cada gargalhada, cada momento bom.

Guardei-a com a certeza que eles nunca mais teriam aquele tamanho.

Agora vou mesmo às compras e abastecer-me para o Inverno e rezar para não ficar "depenada como um passarinho".

Para quem esta na mesma situação que eu, boas compras :)






Noite de Halloween

15.10.18
Para animar nesta Segunda-feira cinzenta tenho um passatempo para a noite de Halloween a decorrer no Instagram!

O Dolce Campo Real, foi o hotel escolhido para celebrar os nossos 7 anos de casados, podem ver aqui.

E o gosto pelo o hotel foi tal que o desafiei a proporcionar-vos uma experiência maravilhosa naquele hotel.

Assim sendo e porque as minhas seguidoras são as mais queridas e merecem o melhor tenho um jantar de Halloween na noite de 31 de Outubro no restaurante Grande Escolha, para dois adultos e duas crianças até aos 12 anos.

Para se habituarem a ganhar apenas têm de:

1. Seguir Tomás My Special Baby

2. Seguir Dolce Campo Real

3. Identificar 3 amigas

* Este passatempo é exclusivo do Instagram


Mas para ninguém ficar triste por não ganhar, TODOS os participantes ganham um desconto na estadia no hotel nos dias 31 de Outubro e/ou 1 de Novembro. 20% de desconto no caso de estadias de uma noite e 25% de desconto no caso da estadia ser de 2 noites.

Para conseguirem o desconto apenas precisam de enviar um email para camporeal.sm@dolce.com com um printscreen da sua participação no passatempo e com os dados para cotação (nome, nº de pessoas (adultos e crianças, datas de estadia e nº de noites).

O passatempo termina a 25 de Outubro e a vencedora será anunciada no dia 26.

Desejo-vos a maior sorte do mundo e que aproveitem ao máximo uma estadia neste maravilhoso hotel.

Boa sorte!!







A verdadeira dor!

14.10.18
Passamos a vida a reclamar da nossa vida pelos mais variados motivos, ou porque os nossos filhos não dormem, ou porque não temos umas férias nas Maldivas, ou porque faz sol ou chuva quando existem pessoas ao nosso lado a viver dores que jamais alguma vez serão mensuráveis.

Vidas trágicas! Que nos fazem relativizar todos os nossos dramas.

Infelizmente em tempos houve um acidente no Montijo que me marcou, como mãe e pessoa, sem conhecer a família chorei a sua dor quando o meu marido me deu a notícia.

Tinha havido um acidente, que vitimou mortalmente marido e filho tendo sobrevivido apenas a mãe.

Uma história que não deixa ninguém indiferente, que mexe connosco e que nos dói na alma só de pensar.

Esta mãe tinha criado uma marca de bebé quando soube que ia ser mãe pois sentia que não conseguia encontrar a roupa que idealizava para o seu filho e assim surgiu a Baby By Piki, uma marca com tecidos de qualidade, com o estilo clássico e que passa de geração em geração.

A Cláudia teve presente no Kids Market, a representar a sua marca, assim que a vi, dei-lhe um abraço forte mas não tinha palavras...era algo tão forte que pela primeira vez senti que nada do que eu dissesse iria aliviar tamanha dor.

Limitei-me a ouvir, abracei-a muito, chorei ainda mais e no meio de tudo ainda me senti ridícula porque deveria ser eu a dar força e não o contrário.

A Cláudia, está a ser medicada e neste momento não existe futuro, o futuro foi-se naquela tarde, agora existe o presente, os objetivos dela são curtos porque o dia de amanhã pode nunca mais existir.

Foi uma conversa longa, que me marcará para a vida,  pois como ela disse e bem, sou mãe por isso é inevitável não sofrer com esta tragédia. Hoje sim tive a perfeita noção que estava diante da verdadeira dor.

No meio disto tudo, senti orgulho por ela ter conseguido pedir ajuda, por não se ter afundado e por ter levantado a cabeça mesmo quando lhe apetecia baixá-la para sempre. Fá-lo pelo seu marido e filho!

Nunca teremos a dimensão do que é ficar sem a nossa vida mesmo continuando a viver.

Não podemos fazer nada, é um facto, mas como mães que somos podemos apoiar e partilhar esta marca e ajudá-la a crescer e a reconstruir parte da sua vida.

É uma marca cheia de bom gosto, e criado por um MULHERÃO, que merece ter sucesso.











Agenda de lazer #8

12.10.18
A sugestão para este fim-de-semana passa mesmo pelo melhor mercadito de Lisboa e arredores.

Já partilhei por várias vezes o carinho que tenho pelo Kids Market, mas nunca é demais lembrar os motivos, primeiro porque tenho um enorme carinho e admiração pela mentora deste projeto - Filipa Cortez de Faria, segundo porque não me sinto enfiada numa "lata de sardinha" e terceiro porque está cheio de marcas giras que adoro!!

E como cereja no topo do bolo, a nossa entrada reverte na integra para a Associação sem Fins Lucrativos Corações com Coração, presidida por Catarina Furtado.

Vão ser várias as marcas presentes no evento, vai haver comida boa, falar-se muito da importância da alimentação saudável, vão haver muitas brincadeiras para as crianças, insufláveis e ainda a Ana Stilwell vai cantar para os mais novos e apresentar o seu livro infantil.

Com tanta animação para as crianças é um óptimo programa para toda a família e para fazer umas compras cheias de pinta visto que o Outono já veio para ficar.

E pelas 15h o T e o FM vão desfilar para a Match - Babies&Kids, vamos ver como corre, não estarei para controlar tudo porque vou trabalhar mas estarei muito bem representada pelo meu marido.

Mas no Domingo às 10h lá estarei para uma manhã cheia de compras

Aproveitem e boas compras :)

O Kids Market vai ser Sábado e Domingo, das 10h às 19h, no Domingo acaba às 18h nas Cavalariças do Pestana Palace.






O outro lado da Trissomia

11.10.18
A trissomia em si tem muito mais de positivo do que de negativo no meu ver.

Sim é possível ser feliz com um filho com Trissomia 21!
Sim é possível termos uma vida normal!
Sim é possível ter uma vida cheia de alegrias!
Mas como tudo na vida tem os dois lados, nem tudo são "rosas".

O principal "drama" das necessidades especiais são as questões financeiras. Aí sim é um arrombo em qualquer orçamento familiar. Mesmo nas famílias mais "abonadas".

Aqui não é uma questão de proporcionarmos aos nossos filhos uma roupa de marca ou da Primark, é mais que qualquer superficialidade é uma necessidade urgente.

É aqui que a nossa vida muda por completo e que nos frustra vezes sem conta quando vemos o nosso ordenado a desaparecer todos os dias mais um pouco com tanta terapia.

São valores descontrolados, e que nos levam muitas vezes alguns sonhos mas em contrapartida dão-nos outros.

Não é uma questão de escolha, de ser melhor mãe ou pior, é uma questão financeira. E quando se fala em dinheiro não há forças de vontade que ganhem, o dinheiro não cresce e por incrível que pareça não estica.

É esta a realidade dura e crua! Não são as dificuldades no desenvolvimento, não são as horas perdidas num carro a levar e a trazer de terapia em terapia, é o valor exagerado em consultas de especialidade e de terapias úteis e imprescindíveis para o seu desenvolvimento.
É aqui que se encontra a verdadeira questão, a parte financeira é alterada do dia para a noite mas a nossa vida fica igual, é preciso parar, dar prioridades ao que é verdadeiramente importante, fazer opções vezes sem conta, é passar noites sem dormir porque queremos muito dar mais de nós mas já não conseguimos.

E no meio existe a frustração que os pais lidam por não conseguirem dar mais aos seus filhos e isto é o que me dói na alma, não é se o meu filho vai andar com um ou três anos, é não termos dinheiro para lhes dar todas as oportunidades que merecem.

É triste o nosso estado não estar do lado das famílias que têm filhos com necessidades especiais. Todos precisam e é urgente alguém perceber que o futuro destas crianças depende do presente. Não podemos exigir que as crianças de hoje sejam autónomas no futuro, quando estas não foram trabalhadas por faltas de apoio.

Não duvido que existe por aí muita mãe e pai, a chorar noites em fio enquanto fazem contas à vida para dar mais ao seu filho, mesmo que para isso metam em causa tudo.

O problema não é das terapeutas e dos médicos especialistas, se são bons merecem ser reconhecidos por isso, o problema é a falta dos apoios estatais.

E enquanto tivermos uma só terapia (1xsemana) a 200€ e um subsídio de 100€ é porque tudo está errado!

Head - Ji