Não tenhas medo

20.9.17
Estás em contagem decrescente para o grande dia, não tenhas medo...

Estás prestes a fazer a maior viagem da tua vida. Será sem dúvida o teu maior desafio e só aí te vais valorizar enquanto ser humano.

Não vai ser fácil, muitas vezes vais chorar, vais sentir-te sozinha, vais questionar se tomaste a decisão certa mas quando te deitares vais perceber que nunca foste tão feliz.

É inevitável não mudarmos enquanto pessoas, vais ver o mundo com outros olhos e todos os teus problemas deixam de ter importância pois passam a nada com tamanha grandeza.

Toda a tua vivida até então deixou de fazer sentido, as prioridades, os gostos mudam. É algo natural por isso deixa-te ir porque o teu coração vai dizer-te o caminho.

Não percas o teu tempo na internet e nos livros mas ganha-o a olhar para o teu filho. Ele vai crescer e depois será tarde.

Não tenhas medo, ninguém disse que seria fácil mas todas as mães te irão dizer que vale a pena.

Não deixes as noites darem conta de ti, dorme junto do teu bebé, alimenta-te. A casa pode ficar por limpar, as séries preferidas podem acumular episódios... afinal o que importa é ele.

Não deixes que te tirem a tua essência, não deixes que te destruam com opiniões. Tu é que sabes o que é bom para ti e para o teu filho por isso...

Se quiseres dormir com ele, dorme.
Se quiseres dar-lhe mama fora de casa, dá.
Se quiseres dar-lhe mama de hora a hora, dá.
Senão quiseres dar mama, não dês.
Se quiseres dar-lhe colo, dá.
Se quiseres dar uma escapadela nem que seja por cinco minutos, dá.
Se quiseres passar o dia de pijama, passa.
Se não quiseres falar com ninguém, não fales.
Se quiseres ter 20 amigos em tua casa, têm.
Se precisares que o teu marido fique com ele para tu descansares, deixa.
Se precisares de encomendar o jantar, encomenda.
Se precisares de ajuda, pede.

Mas no fundo serás sempre a melhor mãe que o teu filho podia ter. Nunca te esqueças disso!!








Pelos nossos "velhinhos"

19.9.17
Hoje não vos falo dos meus filhos, não vos falo de crianças e de bebés, não vos falo de mim, falo-vos dos nossos "velhinhos" que também já foram bebés.

É inevitável não encontrar pelas ruas "velhinhos perdidos", sem ninguém para estar e falar, muitos refugiam-se nas suas casas no meio de uma solidão que dá dó, acabado muitas vezes por abraçarem a morte de braços abertos.

É inevitável não pensar o que é feito daquela família e dos seus filhos...

Filhos estes que têm a obrigação de cuidar, de amar de quem tanto fez por eles. 

Nós filhos, devemos tudo isso aos nossos pais pois nós como pais sabemos muito bem o que fazemos pelos nossos filhos. E tenho a certeza que vamos gostar que os nossos filhos também cuidem de nós da mesma forma que os tratámos.

Se gostámos de ser aconchegados quando nos sentíamos perdidos, se gostámos de ter aquele abraço na altura certa, chegou a hora de retribuir tudo isso mas em dobro.

Também sei que a nossa vida nos engole de tal forma que muitas vezes não nos dá tempo sequer para parar e pensar no que outro possa estar a precisar e a sentir.

Mas é importante não esquecer que essas mesmas pessoas também já foram engolidas pelo seu tempo mas mesmo assim sempre arranjaram tempo para nos dar uma palavra, um beijo ou um abraço na hora certa. 

Ainda no outro dia dei por mim a assistir a uma família super feliz a tirar fotografias com o seu bebé, depois olhei um pouco mais além e vi "velhinhos" com um semblante triste a olhar para aquele cenário de felicidade.

E foi inevitável não pensar porque é que não tiramos fotografias da mesma forma entusiasmada com os nossos  "velhinhos".

É hora de olharmos para eles com respeito, com o mesmo carinho como se tratasse de um bebé. É urgente pararmos para pensar que também chegaremos a velhos, é urgente pensarmos o quanto todos nós temos responsabilidade em dar o nosso melhor para que vivam os últimos anos da sua vida com dignidade e com uma felicidade em pleno.

É urgente percebermos que não seríamos nada nem ninguém sem essas mesmas pessoas que teimamos muitas vezes ignorar.

E por falar em velhice, eu não tenho pena de envelhecer, mas tenho muito medo de quem envelhece ao meu lado, isso sim é o meu maior medo.

Deixo-vos com esta fotografia, sem filtros, com tão pouco mas com tanto. É a minha bisavó materna que infelizmente partiu com os seus 84 anos, uma avó que criou a minha mãe e que ainda ajudou a sua filha a criar a sua neta. Uma avó que me deixa as melhores memórias, que me faz lembrar com saudade quando falava para as novelas, que me dava aqueles conselhos mestres que tanto me encheram o coração.
Já passaram talvez uns 20 anos que morreu e até hoje nunca consegui admitir que tinha morrido, talvez porque para mim viverá para sempre.




Sugestões para o inicio escolar

18.9.17
No Vlog de hoje mostro-vos como me prepararei para o inicio escolar do T.

Toda esta nova fase está a ser mais fácil para o T do que para mim, mas acho que faz parte do processo.

Já temos tudo reunido e agora sim estamos prontos para um grande ano letivo!!

Desejo-vos um ano repleto de vitórias alcançadas.

Espero que gostem, que vos ajude e caso tenham sugestões partilhem :)



Quem disse que ir às compras com crianças era fácil?

17.9.17
Por norma opto por ir às compras sem os baby boys. Toda a logística com eles torna todo o processo mais complicado. Mas desta vez e porque queria aproveitar o tempo com eles optei por os levar comigo mas rapidamente me arrependi. Desde a excitação, às gargalhadas, ao choro tive de tudo um pouco.

Do entusiasmo de andarem de loja em loja às birras inesperadas foram segundos, aquelas coisas que só as crianças percebem e que nós adultos jamais entenderemos.

Nesta fase em que são muito pequeninos este tipo de programas acabam por ser muito cansativos, saturam-se muito rápido e na realidade até consigo compreender pois estarem presos nos carrinhos a ver toneladas de roupas amontoadas não deve ser a coisa mais divertida para uma criança.

Cheguei a ter o T com a minha mãe a passear pelos corredores do shopping enquanto o Baby FM ficou no meu colo e as roupas no carrinho. Estava com tanta birra que até as pessoas que estavam à minha frente na fila me deixaram passar, tal era o cenário de choro. O que é certo é que assim que chegou ao balcão sentou-se e virou um santo. Vai-se lá entender as crianças...

É certo que não consegui fazer metade do que me tinha proposto mas deu para comprar o essencial para os dias de frio que se avizinham.

Essencialmente comprei básicos (muitos), roupa confortável para estarem em casa, roupa prática para o T ir para a escola e pijamas.

Hoje em dia as lojas como Zara, H&M e Primark estão carregadas de soluções muito práticas para o dia a dia e a preços super acessíveis.

Mas de todas a Primark continua a ganhar pontos, arranjam-se básicos desde os 1.50€ e pijamas desde os 6€

Segue-se a Zara com ofertas para o dia a dia com roupas muito giras e com preços também muito em conta. Os preços variam entre os 4.95€ e os 15.95€. (Excluído os casacos que ainda não foi dia de os comprar pois preciso de ver o que ainda tenho do ano passado)

A manhã foi caótica mas a tarde não foi melhor. Foi chegar a casa, almoçarmos, experimentar tudo (visto que ir às compras e ainda experimentar as roupas é missão impossível) e começar a organizar o roupeiro com as novas roupas da nova estação.

Agora estou em modo KO!

E por aí já começaram a mudar os roupeiros?









A escolinha do T

14.9.17



São muitas as mensagens que tenho recebido a perguntar como tem sido a adaptação do T à escola e a resposta é sempre a mesma...

....Perfeita!

O T parece que conhece a escola desde que nasceu. Até hoje nunca o senti triste quando lhe dou o beijinho da despedida.

Aliás é ele o primeiro a dar-me adeus com o seu maior sorriso. Chego a estar cinco minutos agarrada a ele, a dar-lhe 500 mil beijos e abracinhos e ele com as suas parabólicas no ar e sem me ligar nenhuma.

Antes de o deixar, ainda vou à sua salinha deixar a sua mochila e quando volto ali fico a olhar para ele, sem que ele me veja e é tão bom. Parece que é a vitamina que preciso para alegrar o meu dia.

Confesso que só queria ali ficar, nem que fosse atrás de uma árvore a apreciar todo o seu comportamento que tenho a certeza que me deixaria tão orgulhosa. Mas tenho noção o quanto é importante que ele cresça e se torne autónomo.

A adaptação pior tem sido mesmo a minha pois saio sempre da escola com um vazio no coração, um sentimento de quem o está a abandonar... não sei, acredito que todas as mães sintam o mesmo.

Mas quando bate a uma da tarde já lá estou para o ir buscar e nesse momento considero-me a pessoa mais feliz do mundo. Ir buscar um filho à escola consegue ser das melhores sensações que existem na vida.

Aquele brilho no olhar, aquele "mamã", deixa o meu coração a explodir de alegria. Pego nele ao colo e dou-lhe o maior abraço que consigo, muitas vezes até acho que o esmago tais são as saudades que sinto dele.

Estas semanas têm sido uma adaptação mais para mim do que para ele mas o balanço é muito positivo, está a adorar a escola, está rodeado de professoras e auxiliares que o adoram e acima de tudo está feliz!

E pelo que sei anda sempre rodeado de meninas ;)

Look | Be Chic

Mochila | Imaginarium



O poder da Massagem Infantil

13.9.17

Hoje quem vos escreve é a Enfermeira Ângela...

“Se sou teu bebé, por favor toca-me
Preciso do teu toque de formas que nunca poderás entender.
Não me laves e vistas e me alimentes apenas
Mas embala-me, beija a minha cara e acaricia o meu corpo.
O suave toque da tua mão transmite-me segurança e amor.”
Phyllis K. Davis

Começo por vos apresentar um “excerto” deste poema que passou a ter grande significado para mim a partir do momento que decidi “cuidar” do outro. Passei a apresentá-lo nas minhas formações ou sempre que me importa transmitir a importância do afeto…do “estar com…” através do toque. (Poderei partilhar posteriormente o poema completo…vale a pena ler!)

A pele é o nosso maior órgão, é a barreira mais próxima que temos entre o organismo e o meio externo. Podemos encará-la como um limite, entre o “eu” e o outro. A relação que se consegue através do toque exige assim relação, interação e conquista…

A massagem infantil permite esta relação sempre através do toque.









Vimala é a grande fundadora da massagem infantil. Combinou nas suas técnicas de massagem contributos de técnicas indianas, suecas e ainda princípios da reflexologia e do yoga, tornando-a muito completa, uma vez que, todas estas influências dão o seu contributo em benefícios.

Falo-vos agora dos benefícios. São inúmeros, e quanto mais a investigação avança, mais benefícios são conhecidos. Selecionei os mais significativos, que se manifestam não só no bebé massajado mas também em todos os membros envolvidos no ritual da massagem.

Espero-vos fazer render por completo a esta prática!





Benefícios para a família e pessoas significativas:
  • Fortalecimento da vinculação segura, do amor, empatia e tolerância. 
  • Oportunidade de envolvimento da família alargada. 
  • Oportunidade para conhecer…viver a singularidade do seu bebé. 
  • Indução de relaxamento na mãe (tão importante no período pós parto) por libertação das hormonas de ocitocina e redução de hormonas do stress. 
  • Estimulo da lactação, muito influenciado pelo aumento da hormona da prolactina. 
  • Redução da depressão pós parto. 
Benefícios para o bebé:
  • Ocorre um estímulo dos sistemas corporais (circulatório, digestivo,hormonal,imunitário,nervoso,respiratório,linfático) atuando como um favorecedor das funções dos mesmos. 
  • Melhoria das competências comunicacionais pré linguísticas 
  • Consciencialização das diferentes partes do corpo pela criança 
  • Desenvolvimento muscular tónico, favorecendo o crescimento Desenvolvimento das capacidades de aprendizagem bem como da linguagem 
  • Relaxamento pela redução de hormonas do stress como o cortisol em favor do aumento de hormonas como a dopamina, a serotonina ou a ocitocina. 
  • Melhoria da capacidade de auto relaxamento do próprio bebé 
  • Melhoria dos padrões de sono 
  • Alívio da tensão física e dores de crescimento 
  • Alívio das cólicas (protocolo especial para as cólicas)

Festa e festinhas de anos

12.9.17

É engraçado como a nossa vida de um dia para o outro muda de prioridades. Antigamente as nossas festas eram à noite rodeadas de grandes conversas entre amigos e com alguns copos à mistura. Hoje a noite deu lugar às tardes e a pista de dança a insufláveis e pinturas faciais.

Os Baby Boys adoram ir a festas e confesso que não perco as oportunidades pois sei de antemão que é bom para eles conviverem com outras crianças e para gastar toda a energia que têm acumulada. São estímulos que um adulto por mais que se esforce não os consegue dar.

Tanto o T como o Baby FM não pararam na última festa que foram, assim que chegaram foram para os insufláveis da Jump In Tiazana e dali só sairam para os jogos da Make It Happen Kids.

Jardineiras | Maria JOAH


Jardineiras | Maria JOAH

O melhor de tudo é sentir que eles se divertem e que tem uma equipa de animadores para os entreter e olhar por eles enquanto nós pais conseguimos estar um pouco mais entre conversas de adultos.

É quase como juntar o útil ao agradável.
Animação | Make It Happen Kids



Entretanto pelo meio perdi-me com uma tábua de queijos fantásticas da Verde aos Molhos e como sou loca por queijo comi e comi...