Noite de Halloween

15.10.18
Para animar nesta Segunda-feira cinzenta tenho um passatempo para a noite de Halloween a decorrer no Instagram!

O Dolce Campo Real, foi o hotel escolhido para celebrar os nossos 7 anos de casados, podem ver aqui.

E o gosto pelo o hotel foi tal que o desafiei a proporcionar-vos uma experiência maravilhosa naquele hotel.

Assim sendo e porque as minhas seguidoras são as mais queridas e merecem o melhor tenho um jantar de Halloween na noite de 31 de Outubro no restaurante Grande Escolha, para dois adultos e duas crianças até aos 12 anos.

Para se habituarem a ganhar apenas têm de:

1. Seguir Tomás My Special Baby

2. Seguir Dolce Campo Real

3. Identificar 3 amigas

* Este passatempo é exclusivo do Instagram


Mas para ninguém ficar triste por não ganhar, TODOS os participantes ganham um desconto na estadia no hotel nos dias 31 de Outubro e/ou 1 de Novembro. 20% de desconto no caso de estadias de uma noite e 25% de desconto no caso da estadia ser de 2 noites.

Para conseguirem o desconto apenas precisam de enviar um email para camporeal.sm@dolce.com com um printscreen da sua participação no passatempo e com os dados para cotação (nome, nº de pessoas (adultos e crianças, datas de estadia e nº de noites).

O passatempo termina a 25 de Outubro e a vencedora será anunciada no dia 26.

Desejo-vos a maior sorte do mundo e que aproveitem ao máximo uma estadia neste maravilhoso hotel.

Boa sorte!!







A verdadeira dor!

14.10.18
Passamos a vida a reclamar da nossa vida pelos mais variados motivos, ou porque os nossos filhos não dormem, ou porque não temos umas férias nas Maldivas, ou porque faz sol ou chuva quando existem pessoas ao nosso lado a viver dores que jamais alguma vez serão mensuráveis.

Vidas trágicas! Que nos fazem relativizar todos os nossos dramas.

Infelizmente em tempos houve um acidente no Montijo que me marcou, como mãe e pessoa, sem conhecer a família chorei a sua dor quando o meu marido me deu a notícia.

Tinha havido um acidente, que vitimou mortalmente marido e filho tendo sobrevivido apenas a mãe.

Uma história que não deixa ninguém indiferente, que mexe connosco e que nos dói na alma só de pensar.

Esta mãe tinha criado uma marca de bebé quando soube que ia ser mãe pois sentia que não conseguia encontrar a roupa que idealizava para o seu filho e assim surgiu a Baby By Piki, uma marca com tecidos de qualidade, com o estilo clássico e que passa de geração em geração.

A Cláudia teve presente no Kids Market, a representar a sua marca, assim que a vi, dei-lhe um abraço forte mas não tinha palavras...era algo tão forte que pela primeira vez senti que nada do que eu dissesse iria aliviar tamanha dor.

Limitei-me a ouvir, abracei-a muito, chorei ainda mais e no meio de tudo ainda me senti ridícula porque deveria ser eu a dar força e não o contrário.

A Cláudia, está a ser medicada e neste momento não existe futuro, o futuro foi-se naquela tarde, agora existe o presente, os objetivos dela são curtos porque o dia de amanhã pode nunca mais existir.

Foi uma conversa longa, que me marcará para a vida,  pois como ela disse e bem, sou mãe por isso é inevitável não sofrer com esta tragédia. Hoje sim tive a perfeita noção que estava diante da verdadeira dor.

No meio disto tudo, senti orgulho por ela ter conseguido pedir ajuda, por não se ter afundado e por ter levantado a cabeça mesmo quando lhe apetecia baixá-la para sempre. Fá-lo pelo seu marido e filho!

Nunca teremos a dimensão do que é ficar sem a nossa vida mesmo continuando a viver.

Não podemos fazer nada, é um facto, mas como mães que somos podemos apoiar e partilhar esta marca e ajudá-la a crescer e a reconstruir parte da sua vida.

É uma marca cheia de bom gosto, e criado por um MULHERÃO, que merece ter sucesso.











Agenda de lazer #8

12.10.18
A sugestão para este fim-de-semana passa mesmo pelo melhor mercadito de Lisboa e arredores.

Já partilhei por várias vezes o carinho que tenho pelo Kids Market, mas nunca é demais lembrar os motivos, primeiro porque tenho um enorme carinho e admiração pela mentora deste projeto - Filipa Cortez de Faria, segundo porque não me sinto enfiada numa "lata de sardinha" e terceiro porque está cheio de marcas giras que adoro!!

E como cereja no topo do bolo, a nossa entrada reverte na integra para a Associação sem Fins Lucrativos Corações com Coração, presidida por Catarina Furtado.

Vão ser várias as marcas presentes no evento, vai haver comida boa, falar-se muito da importância da alimentação saudável, vão haver muitas brincadeiras para as crianças, insufláveis e ainda a Ana Stilwell vai cantar para os mais novos e apresentar o seu livro infantil.

Com tanta animação para as crianças é um óptimo programa para toda a família e para fazer umas compras cheias de pinta visto que o Outono já veio para ficar.

E pelas 15h o T e o FM vão desfilar para a Match - Babies&Kids, vamos ver como corre, não estarei para controlar tudo porque vou trabalhar mas estarei muito bem representada pelo meu marido.

Mas no Domingo às 10h lá estarei para uma manhã cheia de compras

Aproveitem e boas compras :)

O Kids Market vai ser Sábado e Domingo, das 10h às 19h, no Domingo acaba às 18h nas Cavalariças do Pestana Palace.






O outro lado da Trissomia

11.10.18
A trissomia em si tem muito mais de positivo do que de negativo no meu ver.

Sim é possível ser feliz com um filho com Trissomia 21!
Sim é possível termos uma vida normal!
Sim é possível ter uma vida cheia de alegrias!
Mas como tudo na vida tem os dois lados, nem tudo são "rosas".

O principal "drama" das necessidades especiais são as questões financeiras. Aí sim é um arrombo em qualquer orçamento familiar. Mesmo nas famílias mais "abonadas".

Aqui não é uma questão de proporcionarmos aos nossos filhos uma roupa de marca ou da Primark, é mais que qualquer superficialidade é uma necessidade urgente.

É aqui que a nossa vida muda por completo e que nos frustra vezes sem conta quando vemos o nosso ordenado a desaparecer todos os dias mais um pouco com tanta terapia.

São valores descontrolados, e que nos levam muitas vezes alguns sonhos mas em contrapartida dão-nos outros.

Não é uma questão de escolha, de ser melhor mãe ou pior, é uma questão financeira. E quando se fala em dinheiro não há forças de vontade que ganhem, o dinheiro não cresce e por incrível que pareça não estica.

É esta a realidade dura e crua! Não são as dificuldades no desenvolvimento, não são as horas perdidas num carro a levar e a trazer de terapia em terapia, é o valor exagerado em consultas de especialidade e de terapias úteis e imprescindíveis para o seu desenvolvimento.
É aqui que se encontra a verdadeira questão, a parte financeira é alterada do dia para a noite mas a nossa vida fica igual, é preciso parar, dar prioridades ao que é verdadeiramente importante, fazer opções vezes sem conta, é passar noites sem dormir porque queremos muito dar mais de nós mas já não conseguimos.

E no meio existe a frustração que os pais lidam por não conseguirem dar mais aos seus filhos e isto é o que me dói na alma, não é se o meu filho vai andar com um ou três anos, é não termos dinheiro para lhes dar todas as oportunidades que merecem.

É triste o nosso estado não estar do lado das famílias que têm filhos com necessidades especiais. Todos precisam e é urgente alguém perceber que o futuro destas crianças depende do presente. Não podemos exigir que as crianças de hoje sejam autónomas no futuro, quando estas não foram trabalhadas por faltas de apoio.

Não duvido que existe por aí muita mãe e pai, a chorar noites em fio enquanto fazem contas à vida para dar mais ao seu filho, mesmo que para isso metam em causa tudo.

O problema não é das terapeutas e dos médicos especialistas, se são bons merecem ser reconhecidos por isso, o problema é a falta dos apoios estatais.

E enquanto tivermos uma só terapia (1xsemana) a 200€ e um subsídio de 100€ é porque tudo está errado!

Head - Ji 






Audácia de sonhar, de lutar pelos sonhos e ser feliz!

9.10.18
Das perguntas que mais me fazem é o que me levou a querer ser mãe depois do T e se não tive medo.

Mas por mais perguntas que me façam as respostas são sempre as mesmas.
Primeiro, eu e o meu marido merecíamos viver a maternidade em pleno, algo que nos foi roubado no nosso primeiro filho. Segundo porque nunca em momento algum senti medo, a trissomia do T era livre não havia nenhum motivo aparente para o seu cromossoma mais por isso as probabilidades mantinham-se iguais às da primeira. Depois porque também só existe um caso no mundo em que voltou a acontecer e por fim porque o medo nos impede de sermos felizes!

E foi com esta linha de pensamento que mergulhámos às cegas neste segundo filho, que se veio a chamar Francisco Maria.

Uma gravidez tranquila, sem medos, mas que me deu mais margem de pensamento para tudo o que pudesse correr mal e se houve coisa que aprendi na primeira gravidez foi a ter uma maior consciência para tudo o que pudesse fugir ao planeado.

Um parto induzido, deu-me margem para pensar mais sobre o assunto e desejar loucamente olhar para ele assim que saísse dentro de mim.

No momento em que nasceu foi um amor imediato, sem medos, com o verdadeiro amor à primeira vista, algo que me tinha sido roubado no dia 6 de Agosto de 2014.

Naquele momento éramos só nós, tudo o resto tinha deixado de fazer sentido, tê-lo nos meus braços de uma forma tão simples e descomplicada foi dos momentos mais incríveis que alguma vez senti.



Algo que para muitos é tão banal e que para mim era tão importante.

Recordarei para sempre a nossa primeira noite, em que eu não desgrudei um segundo dele, em que lhe peguei vezes sem conta só para lhe tocar e cheirar. Do outro lado do quarto, no cadeirão azul estava o meu marido a olhar para nós e a dizer "realmente é tão diferente do que passámos com o T, é tudo tão simples e tão leve. Agora sei o que é viver o nascimento de um filho em pleno".

Doentinhos

7.10.18
O tempo está óptimo e está digno dos dias de Verão mas sabemos que estas temperaturas começam a fugir à normalidade da altura.

O T e o FM começaram na sexta feira a ficar constipados, a pingar do nariz mas nada de especial até que ontem o Francisquinho ao jantar começa acusar dores nos ouvidos e aí percebi que o assunto seria sério, ele estava muito em baixo a choramingar e só se consolava no meu colo, chegando mesmo a mamar que era algo que não fazia à meses mas acredito que foi na mama que encontrou o consolo que precisava.

Já o T como começou a ver todas as atenções viradas no irmão, lembrou-se de fazer gracinhas para chamar a nossa atenção.

Fui para o hospital e a otite nos dois ouvidos confirmava-se. Começou antibiótico e dormiu na minha cama colado a mim mas no entretanto apareceu o T e aí foi muito difícil conseguir gerir ambas as necessidades, estava no meio deles para evitar algum contágio maior (embora soubesse que isso não adiantaria muito).

Às 6h o FM começa com uma falta de ar que me fez gelar, estava cheio de expectoração e isso estava a atrapalhar a sua respiração, ainda conseguiu vomitar grande parte da expectoração mas a sua respiração não me deixava tranquila, vesti-me com a primeira roupa que encontrei mas com o reboliço que se fazia sentir em casa o T acordou e só queria consolar o irmão, que querido!
Voei para o hospital e confirmava-se uma laringite.

O que me custa mais enquanto mãe de dois, é nestas alturas não conseguir desdobrar-me, nestas ocasiões eles só querem a mãe e parte-me o coração quando saio para o hospital e deixo o outro em casa à minha espera.

Quando chegámos a casa tinha o T à minha espera na cama, já tudo mais calmo abracei-os e dormimos colados até o relógio bater as 11h. Confesso que tive que olhar duas vezes para o relógio porque nem queria acreditar que tínhamos dormido até àquelas horas.

Hoje ficámos o dia todo em casa entre miminhos e brincadeiras. Ambos continuam ainda muito ranhosos mas estáveis.

Vamos ver se a noite vai ser tranquila e se eles melhoram rapidamente!!

Boa semana!!








Pavlova de frutos vermelhos

6.10.18
Tenho partilhado no Instagram uma das minhas sobremesas preferidas e das que mais me dá gosto fazer e como tenho recebido muitas mensagens deixo-vos aqui a receita.

É uma receita muito fácil de se fazer e que faz sempre o maior sucesso na mesa.

O maior truque é no forno, aconselho a meterem exatamente a temperatura que vos digo, não abrirem nunca o forno e assim que acabar esperarem um pouco e só depois retirar.

Ingredientes
4 Claras
4 colheres de sopa de açúcar por cada clara
1 c. de chá de vinagre de vinho branco
2 c. chá de amido de milho

Preparação

Coloque o forno pré-aquecido a 150º durante 10 minutos, assim que termine este tempo baixe para os os 120º durante 90minutos.

Bata as claras em castelo até formarem picos suaves. Coloque a velocidade mínima e acrescente o açúcar colher a colher e bata até ficarem firmes e brilhantes.

Acrescente o vinagre e bata mais um pouco. Coloque o amido de milho e envolva com a espátula.

Numa folha de papel vegetal faça um círculo. Coloque as claras e espalhe até preencher o circulo. Alise o topo mas faça-o de maneira a deixar o meio mais baixo, para que depois se tenha um espaço para colocar o chantilly.

Recheio
2 pacotes de natas frescas
3 colheres de sopa de açúcar
Morangos e frutos vermelhos a gosto

Preparação
Bata as natas frias com 3 colheres de sopa até ficarem duras. Depois da Pavlova fria coloque-a no prato de servir e cubra com o chantilly. Por cima coloque os morangos e os frutos vermelhos.

Espero que gostem!
E que façam o maior sucesso nos vossos almoços e jantares.

Bom apetite :)





Agenda de Lazer #7

4.10.18
Os dias embora já mais curtos continuam a fazer lembrar o Verão.

Por isso todos os passeios passam por ar livre, brincar e explorar a natureza ao máximo.

Este fim-de-semana vamos viver em "slow living", sem nada programado, vamos aproveitar o que a vida nos dá de bom, sem horas e sem stress.

Deixo-vos com dicas para passearem ao ar livre com os vossos filhos e aproveitarem ao máximo estes dias.

Passeio na Natureza 
Passeio de barco
Salvaterra de Magos
Entre 15€ a 25€

Golfinhos e Piratas
Algarve
Passeio de barco
Entre os 19€ a 35€

Barco com fundo de vidro
Funchal
30€

Vamos explorar o Rio Mira
Passeio de canoa
Odemira
Entre 10€ a 20€

Natureza, Cavalos e Ar livre
Na Granja Abbatiale podem desfrutar da natureza em pleno.

Experiência no campo
Herdade do Moinho Novo
Montijo
Atividades lúdicas e pedagógicas na quinta
Entre os 5€ aos 65€

Observação de Cétaceos
Passeio de barco
Observação de golfinhos e baleias
Açores
55€

Vamos fazer Pão - Quinta Pedagógica Armando Villar
WORKSHOP
Cascais
Entre os 2€ aos 8€

Quem mora no Jardim?
Atividades lúdicas
Porto
Fundação Serralves
5€ - Gratuito até aos 12 anos

Há vida no Parque
Atividades lúdicas
Porto
Fundação Serralves
5€ - Gratuito até aos 12 anos

Jardim Zoológico

Lisboa
Entre 14.5€ e 21.5€

De Charret pelo Parque
Passeio por Sintra
3,5€ - Gratuito até aos 3 anos

Bom fim-de-semana!!





As verdadeiras escolas inclusivas

3.10.18
A escola pode ser um dos maiores tormentos para os pais que têm crianças com necessidades especiais.

É à aceitação pela direção, pelos professores, auxiliares, colegas e o medo do Bullying que nos fazem tremer vezes sem conta.

Mas se queremos que o nosso filho seja aceite, temos de ir em frente, sem medos! E foi com essa atitude que escolhi meter o T numa escola comum.

Por opção não meti o T numa escola pensada para crianças com necessidades especiais porque isso seria o primeiro passo para dizer ao mundo que o meu filho era diferente dos demais.

Por isso enchi-me de esperança e de sonhos e percorri três escolas. Sem medos pedi as informações necessárias e só depois da visita guiada disse que o T tinha Trissomia 21 e em momento algum senti descriminação.

No meio das três escolas, escolhi a que me deu a mão e a que se mostrou pró-activa para lutar comigo por um mundo melhor.

Tem sido um caminho fácil, com uma educadora fantástica com sede de aprender todas as técnicas específicas de estimulação, com uma psicóloga super dinâmica, com uma educadora de NEE sensível e uma directora incansável. Ao ponto de terem disponibilizado parte do ginásio para a terapia do T.

Mas a escola pode estar cheia de boas intenções mas senão trabalhar em simultâneo com as terapeutas não resulta.

Aqui não existe o trabalho mais importante pois tanto a escola como cada terapeuta tem a sua mais valia.

Não é fácil ajustarmos as agulhas entre todas as áreas mas não é impossível, mas cabe a nós estarmos em todas as frentes e ajustarmos as vontades e as necessidades de cada uma em prol do nossos filhos.

É necessário estarmos atentas, reunir algumas vezes em equipa e discutirmos o melhor caminho, nem que para isso tenhamos que recuar vezes sem conta para que possamos avançar.

O caminho faz-se caminhando e aqui não existem pressas, nem pode existir, é olhar para o nosso filho  e ajustarmos consoante as suas necessidades.

É ouvir o que as terapeutas têm a dizer e articular entre todas, definir um plano e agir.

Acredito que o sucesso só se consegue com trabalho em equipa, não é fácil encontrar as pessoas certas mas quando as encontramos é unir esforços e vencer as batalhas.

A semana passado éramos oito numa mesa a definir um plano para este ano letivo e naquela sala senti orgulho por ter conseguido construir a melhor equipa multidisciplinar para o T.

Muito se ouve sobre as escolas inclusivas, sobre os planos adaptados, sobre tantas coisas que nos deixam atormentadas mas acreditem que é possível encontramos escolas que aceitem os nossos filhos tal como são. Não percam a esperança e se alguma vez a escola descriminar o vosso filho de alguma forma, não tenham medo de irem à luta mas acreditem que antes das lutas, aquela escola não merece o vosso filho.

Há batalhas que não merecem o nosso esforço e energia pois não há nada melhor que sentirmos que as pessoas estão connosco de coração.


Look | Clube do menino 






Tempo a dois

2.10.18
Um dia destes ao almoço...

Marido: O que vamos fazer este fim-de-semana?
Eu: Não tenho aqui a agenda mas acho que temos qualquer coisa.
Marido: Ha ok. Então depois vê. E na 2ªfeira fazemos anos de casados...o que vamos fazer?
Eu: Desculpa? Como assim?
Marido: É dia 1 de Outubro!!
Eu: Ai não pode, mas não é só para a outra?
Marido: Nãooooo

E foi assim que tudo começou.... estávamos a 4 dias de fazermos 7 anos e eu a char que estávamos a 15. Tenho tido dias tão loucos com uma agenda cheia de "rabiscos", que estava convencida que era só na semana seguinte.
Naquele dia comecei logo a ver várias opções para comemorarmos a data. Estava mesmo em cima do acontecimento e não queria passar em branco esta data tão querida para nós.

Desde que casámos que é hábito celebrarmos a data, antes de termos filhos, fazíamos sempre uma viagem, hoje com uma logística bem mais complicada ficamos por um ou dois dias e aí a máxima aplica-se "vale mais pouco mas bom do que muito sem conteúdo".

Fazíamos anos na Segunda e isso implicava deixar tudo orientado para que pudesse desfrutar do momento sem preocupações por isso optei só ir no Domingo para que sábado tivesse espaço para organizar a nova semana que começava.

Já tínhamos estado no dia da Mãe no Dolce Campo Real Lisboa (podem ver aqui) e fiquei com vontade de voltar por isso nada melhor que comemorarmos o nosso dia, num local que já nos tinha proporcionado bons momentos. Era perto de Lisboa o que nos permitia ir no Domingo e voltar na Segunda.

Foi pouco tempo mas o que foi, foi fantástico, o Hotel além de bonito, é cheio de pessoas super simpáticas e tem óptimas condições para passarmos uns dias a dois ou em família. Cheio de recantos que nos encatam a cada esquina.



Rodeado de verde e cheio de silêncio obrigou-nos a abrandar o ritmo do dia a dia e olharmos apenas para nós. Assim que chegámos fomos para a piscina e confesso que todo aquele silêncio custou-me a assimilar, já não estou habituada a estar mais de 5 minutos deitada, por isso assim que me deitei levantei-me 10 vezes, ou para meter creme, ou para molhar os pés, ou para pegar no telefone, tudo era pretexto para não estar quieta. Até que o B me disse "mas tu não sabes estar quieta? olha para o infinito..." E na realidade ele tinha razão. Fiquei ali à apreciar todo aquele sossego que tanto anseio vezes sem conta.










Aproveitámos por ser Domingo, para fazer o Brunch do hotel, que para mim é só o melhor que alguma vez experimentei, feito de pouca quantidade mas de uma qualidade fora de série. Desde o peixe ao sal às ostras tudo nos deixa de água na boca.




7 Anos de um grande Amor

1.10.18
7 Anos de um AMOR que cresce todos os dias mais um pouco.

O amor que há 7 anos já era o suficiente para decidirmos dar este passo tão importante numa relação.

Por opção própria, só saí de casa dos meus pais no dia em que lhe disse o "SIM", foi o revirar para uma vida mais independente, do nosso castelo cheio de sonhos, das paredes despidas com a sede que nelas escrevêssemos a mais bela história de amor.

Aquele amor que julgava ser o suficiente era tão pouco comparativamente com o amor de hoje, um amor simples, sem grandes "q's", com uma maior maturidade, com um respeito mútuo, com um companheirismo sem igual e com uma confiança e fidelidade que nos torna tão fortes e inabaláveis.

Juntos, pouco a pouco construímos o nosso castelo, com alicerces bem cimentados evitando assim que caía com os tsunâmis da vida.

7 anos de uma história de amor, cheia de linhas tortas, mas que se unem entre si e se torna numa das mais belas histórias de amor.

A três anos dos 10, e eu com vontade de reviver tudo o que ficou guardado nos nossos corações no dia 1 de Outubro de 2011.

O início de uma vida cheia de amor e de uma felicidade imensa.

A nós, meu único e grande AMOR!