O 1º dia de escola

4.9.17


O primeiro dia de escola dos nossos filhos acho que nunca se esquece, pelo menos eu não esquecerei.

Sem dúvida que mexe com imensas emoções, é um sabor agridoce pois ora estamos muito felizes por saber que para eles é o melhor e que vão aprender imensas coisas, ora sentimo-nos tristes e com um sentimento de perca.

Naquele dia passa a ser uma criança do mundo, começa a desbravar seu próprio caminho.

O peso do pré-escolar é sempre muito grande pois é nestas idades que começam a construir o seus  valores.

São estas professoras que lhes ensinam os primeiros passos para as suas vidas. E pelo que conheci da professora do T, não lhe podia ter saído uma melhor :)

Hoje, não foi preciso o despertador tocar para que me levantasse, foram mais que muitas as voltas na cama até que chegou o momento de o ir acordar e desejar-lhe um dia muito feliz.

Desde o seu acordar, à papa, ao seu vestir, tudo teve uma carga emocional superior à dos outros dias, talvez porque lá no fundo queria aproveitar todos aqueles momentos.

O meu coração esteve sempre a palpitar de uma forma avassaladora e assim que estacionei o carro foi inevitável não caírem as primeiras lágrimas.

O T sorria para mim, como se quisesse dizer que estava tudo bem.

Percorri de mãos dadas com ele os corredores da escola com um nervosismo miudinho Até que chegou o momento de o entregar à professora e aí chorei, chorei muito. Saí da sala para que o T não me visse e só voltei quando me senti mais calma, abracei-o muito e despedi-me. No meio disto tudo o T já só queria brincar com os seus amigos novos e pouco quis saber de mim.




Foi uma manhã contada aos segundos sempre a pensar no que estaria a fazer, demorou muito a passar, mas assim que chegou a hora de o ir buscar lá fui eu o mais rápido possível. Estava super curiosa para saber como ele estava e como tinha sido a sua adaptação.


Cheguei e estava a comer sozinho, com aquele ar super querido e ali fiquei a admirar todo aquele cenário, que me deixou tão orgulhosa e me consciencializou o quanto ele já tinha crescido.

O feedback foi muito positivo, o T esteve o tempo todo feliz, a brincar e só no fim da manhã é que chamou pela mamã.

Percebi que tinha feito a escolha certa e que o T ali seria o Tomás, sem qualquer patologia associada e que ali lhe dariam a oportunidade de mostrar o seu potencial.

Agora meu filho, chegou a hora de voares bem alto, mesmo que este coração de mãe esteja do tamanho de uma ervilha.










2 comentários:

  1. Sem dúvida nenhuma, que o T soube interiorizar todos os ensinamentos, que lhe foram transmitidos, socializa-se muito bem, é muito feliz, sente-se segur. Que bom, graças à familia que tem, parabéns, vocês são maravilhosos. ������������

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Manuela :) Ele é uma criança inspiradora. Grande beijinho

      Eliminar