O meu grande Amor

2.12.20

Gerir uma família não é fácil. E por mais que exista monotonia esta nunca é levada à letra porque todos os dias são diferentes.

Tapa-se um lado e destapa-se o outro, tal como os cobertores no inverno.

É preciso respirar fundo várias vezes, ajustar prioridades vezes sem conta em prol de um bem comum.

É preciso sonhar mais além e ambicionar por nós e por eles.

Traça-se um caminho e segue-se pé ente pé até chegarmos ao destino.

Ninguém disse que seria fácil, mas todas as pessoas dizem que ninguém vive sem amor e sem a partilha. E eu acredito!

É fácil nos deixarmos atropelar pelos nossos três filhos. Mas depois ao mesmo tempo que nos perdemos encontramo-nos nos olhares trocados entre as tarefas diárias.

Ele faz-me recuar no tempo e eu levo-o a fazer coisas que até então achava impossíveis.

Não me diz que não a nada, mesmo que isso implique algum sacrifício da sua parte. Eleva as minhas ideias e ainda as aplaude de longe. Discreto por natureza, um pai de família, o meu verdadeiro amor.





Sem comentários:

Publicar um comentário