De volta

14.9.20

Seis meses depois do dia em que entrei na escola bombardeada pelas notícias dos últimos acontecimentos, invadida de pensamentos e baralhada com o nosso futuro.

Em que me dirigi à sua sala e lhe trouxe tudo, com a certeza que não sabia como e em que circunstâncias voltaríamos.

Volta a vestir a sua bata e voltei a leva-lo de mãos dadas para a escola.

Mas com a certeza que pelo meio nunca fomos tão felizes, em que nos demos tanto um ao outro e que tivemos a maior oportunidade que a vida nos podia dar: Tempo! 

Olho para trás e recordo com nostalgia todos aqueles meses em que nos fechamos em casa, as nossas brincadeiras e o meu olhar com tempo para admirar as suas brincadeiras. 

Não esquecendo que foram tempos de adaptação, de resiliência e de um esforço acrescido para todos pois fomos obrigados a desempenhar o papel de professores aos nossos filhos, mesmo quando a nossa vocação não era essa.

Foi duro mas não mudaria uma virgula!

No fim de tudo, fomos felizes e isso é o que importa.

Hoje voltas-te a sair das minhas asas, o teu olhar apreensivo pelo desconhecido deixa-me inquieta. Mas tu precisas do teu tempo, e eu do meu. A nossa casa precisa de respirar. 

Precisamos todos de nos reorganizarmos e voltarmos às nossas rotinas.

Não tenhas medo, pois da forma que esperas por mim eu conto os minutos para te ir buscar.

Agora voa! Ri, brinca (muito) e sê feliz! Porque a mãe estará sempre de braços abertos para te receber.

O meu bebé grande.









Sem comentários:

Publicar um comentário