Destralhar

10.2.20
Assumo-me minimalista. Não gosto de acumular coisas em casa e desde sempre que destralho.

Gosto de ter na minha casa o que me faz verdadeiramente falta, e o que mais detesto ver é uma casa cheia (a minha).

Tenho imensas coisas que não chegam sequer a entrar em casa. Não é uma questão de gosto mas de utilidade. 

Ter móveis recheados de coisas faz-me confusão. Queria mesmo algum desconforto em mim.

Aliás o meu roupeiro tem só o indispensável, todas as estações renovo e dou mais de metade. O que me dá mais gozo é ficar com prateleiras vazias. Detesto roupa acumulada, que se perde de vista.

E aliado a isso tudo acho que o minimalismo nos dá mais energia. Não nos prende tanto ao passado e nos renova a alma.

Na hora de destralhar, não penso em nada, não olho sequer para trás e nem penso se me será últil no futuro porque senão foi até agora é porque não será.

Fecho os olhos, respiro fundo, pego num saco e vai embora.

Para o lixo vai o que está estragado, e o que está bom dou a pessoas que sei que precisam ou que lhe vão dar utilidade.

E vocês como são em vossas casas?




Sem comentários:

Publicar um comentário