Descomplicar na "doença"

11.2.20
Felizmente os meus filhos não ficam com frequência doentes. O T em teoria era o que tinha mais probabilidade de ficar doente, mas felizmente conto pelos dedos as vezes que ficou doente. É um resistente!

Já o FM é a "flor de estufa" como lhe chamo. Fica doente com mais frequência e como é muito átivo, fica melodramático e até dó de o ver. Metade é mimo nota-se perfeitamente e acaba por abusar do seu estado para pedir tudo o que quer. É o típico homem doente... que uma simples constipação é um drama.

A baby MC, embora esteja em casa, está em contacto com os manos diariamente mas felizmente que ainda só teve constipada. Uma resistente e talvez o leite da mama lhe dê a imunidade que precisa.

Como mãe de três, não posso complicar, quando um deles está doente, não os posso isolar mas também não tenho essa pretensão. Vou evitando uns beijos mais prolongados mas pouco mais.

Sou das que entrega à sorte ou a Deus, para quem acredita.

É normal que eles passem os vírus uns para os outros por isso o melhor é descomplicar e ir contornando o contacto deles com peso e medida.

Difícil é gerir a nossa atenção pois o doentinho quere-nos presente mas os outros também nos cobram. É a verdadeira ginástica acrobática.

E por aí como fazem? São das mais "complicadas" ou das "descomplicadas"?







Sem comentários:

Publicar um comentário