Para ti, meu filho

21.11.19

Sabes filho, quando nasceste fizeram questão de me mostrar que a minha vida cor de rosa em que vivia se transformaria numa cor cinzenta, cheia de nuvens carregadas que levaria a verdadeiros dilúvios sem fim.

Depois tiveram a ousadia de dizer que se te pudesse escolher por catálogo, nunca te escolheria. E aí acho que lhes dou razão, na realidade e no meu íntimo sei que por mais "corresse" um catálogo de pavio a pavio jamais escolheria um tão perfeito como tu. Incrível!

Fizeste-me ver a vida com outros olhos, com as cores do arco-íris, a lutar por causas que até então ignorava, fizeste-me chorar, a duvidar, mas acima de tudo ensinaste-me o que é lutar com uma grande força.

Deste-me a conhecer a palavra resiliência. E contigo dancei as melhores badaladas da vida.

Aprendi que o valor da vida está nas pequenas coisas e nas pessoas e não nos bens materiais que até então tanto acreditava.

Disseram-me que nunca serias médico ou engenheiro, como se isso fossem as únicas profissões válidas nesta sociedade onde vivemos. Não sei se o serás um dia, como também não sei se os teus irmãos o serão, mas isto só para nós, também não quero saber. Não é na vossa profissão que está o meu foco. O status e uma conta recheada não pagam (ainda) felicidade. Quando o pagarem aí sim lutarei por isso até lá desejo que sejas apenas feliz e verdadeiro contigo próprio.

No entanto esqueceram-se de dizer que esse cromossoma a mais que trouxeste, dá-te alma, dá-te brilho e dá-te uma magia incansável por muitos.

Hoje tenho a certeza que se tivesse que te escolher por catálogo, jamais conseguiria juntar todos os ingredientes num só filho. 

Foi a tua "imperfeição" que me conquistou e que fez de mim um ser humano melhor, uma mãe feliz, uma sonhadora nata.

Por isso filho, voa! cresce! tropeça, chora e ri. Desbrava caminhos de pedras e nunca deixes de acreditar em ti.

Love you






Sem comentários:

Enviar um comentário