Verbo IR

28.8.19
Ao longo destes cinco anos como mãe tenho-me moldado, tenho posto para trás o meu perfeccionismo, descomplicado mais, abdicado de uma vida toda em "ordem" em prol de uma vida mais tranquila, com menos stress.

Acredito cada vez mais na filosofia "slowliving", no verbo ir e no estar.

Por vezes não é fácil, é preciso trabalhar o nosso eu juntamente com o nosso cérebro, é preciso ver  outros estilos de vida para que consigamos moldar o nosso com os nossos princípios.

É preciso respirar fundo, desbloquear o cérebro, fechar a porta e ir.

Sou aquela pessoa que não sai de casa sem uma almofada fora do sítio, e aqui é a parte mais difícil de trabalhar a minha cabeça, aos poucos vou conseguindo fechar os olhos mas não é fácil.

Sempre ouvi a minha mãe dizer que a casa pode esperar e a nossa vida não, e cada vez mais lhe dou razão.

Sair sem relógio é outra das ferramentas que implementei para mim, sem metas e objetivos, apenas ir ao sabor do vento, sem planos.

Quando isso acontece não existe stress, não existem discussões e a nossa paciência ganha uma dimensão muito maior.

Hoje foi exemplo disso, acordámos, arrumei a casa sem pressas, e fomos, só tínhamos o destino, no meio fizemos e refizemos os planos. E o bom de não haver planos é não corrermos por objetivos que só nos dão stress em vez de tranquilidade.

Segunda a rotina e os horários voltam a instalar-se na nossa casa, até lá e sempre que podemos é aproveitar e viver sem eles.

Adorava um dia ter a coragem de escrever no céu o verbo IR sem data para voltar. Mas aqui só para nós, isso implicaria tanta coisa que não tenho a coragem necessária.

E vocês como vivem?

Bugaboo

Pés de Cereja 





Sem comentários:

Publicar um comentário