Irmãos

20.7.20
Perguntam-me muitas vezes sobre a relação dos meus filhos. Quais os segredos para serem tão cúmplices e a verdade é que não existem segredos. Existem sim valores que passam de uma forma muito natural.

O T e o FM têm uma relação bonita e que chega a meter-me inveja de tão pura que é. 

É um facto que eles ainda são muito pequeninos e que tudo pode mudar mas para vos ser sincera não acredito que vá mudar.

É uma história de amor bonita demais para mudar.

A minha família sempre foi unida e sempre fomos os pilares uns dos outros. Era na minha família que me encontrava, que me inspirava e que ganhava forças para vencer os meus medos.

E talvez seja esses valores que lhes tento passar de uma forma natural.  Valores da união, da amizade e do amor. Quero e faço questão que tudo comece e acabe na nossa casa. É aqui que quero que se inspirem, que chorem e que vivam de mãos dadas todas as vitórias. É aqui que quero que encontrem a estabilidade emocional e a segurança para serem felizes e equilibrados.

Na nossa casa existem "desculpas", vitórias vividas por todos, abraços fortes e lágrimas enxugadas pelas mãos e muito respeito pelo espaço do outro.

Embora seja raro, também se chateiam e é nessa altura que intervenho. Pergunto, ouço as motivações de cada um, explico o que tiver de ser explicado e depois digo-lhes para se abraçarem e pedirem desculpa. 
É isto que faço. Não fomento zangas, nem lhes permito isso. Não os obrigo a serem melhores amigos apenas exijo que sejam irmãos e que se respeitem.

Mas esta relação bonita que criaram, não é minha, nem tão pouco uma vitória. É deles, e exclusivamente deles. São eles que se ganham um ao outro da forma mais pura que há. 

Tenho um orgulho na relação bonita que eles construíram. Sinto orgulho quando os vejo a protegerem-se mutuamente, orgulho quando puxam um pelo outro e quando transformam as fraquezas de um nas valências do outro. Um pelo outro, como nos mosqueteiros. É assim a relação deles


Crocs | Pés de Cereja 



Sem comentários:

Publicar um comentário