Mãe é Mãe!

6.11.18
Felizmente não me posso queixar pois o pai dos meus filhos é um pai presente e preocupado mas conheço outros pais que não estão tão presentes no dia a dia dos seus filhos, muito pelo excesso do trabalho.

Mas o que é certo é que independentemente do pai estar presente ou não há coisas que nem sonham o que é preciso fazer e o que nós fazemos para tornar os dias mais leves.

Tomei essa consciência quando em tempos tomei a decisão que ía de férias para o Algarve só com um dos meus filhos (podem ler aqui).

Lembro-me de me ter sentado na mesa da sala e ter escrito folhas e folhas com recados e recadinhos, com tarefas e obrigações e foi aí que percebi que o papel de uma mãe é indispensável numa família e que somos nós que fazemos tudo acontecer.

Muitas delas são coisas simples, como uma medicação ou mesmo o material a levar para a escola mas é nessas pequenas coisas que se geram as grandes coisas.

O que é certo é que por mais ajudas que tenhamos dos nossos maridos, há coisas que só o coração de uma mãe sabe, talvez seja o instinto maternal a falar mais alto e que nos mete constantemente na linha da frente. Não sei...

Acredito  que o nosso cansaço venha daí e a falta de esquecimento (que o meu marido diz que ficou no bloco de partos há 4 anos) também. Todas estas preocupações sozinhas não representam nada mas juntas fazem a diferença para um bom funcionamento familiar.

Orgulhei-me de mim ao escrever cada tarefa, mas enchi-me de medo ao perceber que há coisas que são tão nossas e que por mais bilhetes que escrevamos nunca serão feitos da mesma forma, não que sejam feitos sem amor mas são feitos de forma diferente.

Mãe é mãe! Uma mãe será sempre uma mãe. É algo que nasce connosco!










1 comentário:

  1. Odeio ser uma pessoa negativa mas isto acontece porque nós deixamos. Eu e o meu marido partilhamos uma casa, trabalhamos os dois a full-time, porque raio deixaria eu recados quando não estou. Ele tem de saber gerir a casa quando eu não estou tal como eu giro quando ele não está. Claro que há tarefas que gostamos mais do que outras. Por exemplo, sou eu que trato tudo das nossas viagens, mas é ele que trata de renegociar as contas e o empréstimo. Chega de homens que "participam", tem de ser partilha, de igual para igual!

    ResponderEliminar