Os "sonhos" maus já chegaram cá a casa

20.4.20
O Franciscquinho nunca foi aquele bebé fácil de dormir, não dormiu uma única noite de seguida até aos dois anos e quando dormia era debaixo da minha asa.

Assim que fez os dois anos deixou de mamar e aos poucos e poucos foi começando a dormir cada vez melhor e já na sua cama junto do irmão.

Mas a sua energia é tanta que parece que o sono nunca chega. Com a entrada na escola, tornou-se mais fácil. Havia uma rotina implementada e o cansaço chegava mais cedo. Mas com todas estas mudanças, o Francisquinho voltou a resistir na hora de dormir, não quer, não tem sono e é raro não pedir para ficar comigo na sala.

Umas vezes acabo por ceder outras nem tanto. O que é certo é que independentemente de tudo é difícil manter a rotina de antigamente, não termos a responsabilidade de sair de casa obriga-nos a uma grande disciplina e nem sempre é fácil de cumprir.

Mas para ser sincera também não quero que assim seja, estamos em casa, no conforto de nossa casa e para a nossa dinâmica familiar não me faz muito sentido meter o despertador a tocar para as 8h. Tenho aproveitado o acordar calmo de cada um, que nunca passa das 9.30h. A manhã torna-se mais curta é um facto mas ao mesmo tempo mais tranquila para todos.

No entanto os pesadelos chegaram e é rara a noite em que não vai para a nossa cama. Acorda meio assustado e diz que são sonhos maus e que não quer dormir na sua cama mas na da mãe. Aconchego-o, digo-lhe que está tudo bem, que a mãe e o pai estão ali e vai dormir comigo.

Voltámos a dormir como quando era bebé, lembro-me muito bem das nossas noites do antigamente, de como fazia do meu braço a sua almofada. Do seu tamanho tão pequenino.

Hoje as noites são passadas a olhar para aqueles caracóis loiros, a cheirar a sua pele, a tocar na sua pele macia e a segredar-lhe ao ouvido que o amo muito. Fazendo um esforço para congelar aqueles momentos para sempre.

Ele vê em mim um porto seguro mas na realidade,é ele o meu.

E por aí já começaram os "sonhos" maus?




Sem comentários:

Publicar um comentário