As crianças e a terra

28.12.18
Sempre fui da cidade mas por ter os meus avós em zonas rurais, sempre convivi com a terra e aprendi como é que a fruta e legumes chegam ao nosso prato.

É algo que sinto falta na cidade, não tanto por mim, mas pelos meus filhos porque sei que não há forma melhor de crescer como a terra e ar puro.

Como é bom ver os animais a crescer pelos campos e fazer gemadas com os ovos da galinha.

Sempre que conseguimos vamos ver os meus avós e o dia 26 já é um prolongamento do nosso Natal pois desde que os meus avós deixaram de passar o Natal connosco que passámos a ir nesse dia pois a minha avó faz anos.

É sempre um dia diferente, em especial pelos miúdos, onde os telefones são postos de lado, pela falta de rede, onde se respira ar puro e onde se corre com liberdade.

Tivemos sorte com o tempo pois ao contrário de Lisboa estava um dia de Primavera.

Não tinha levado mais roupa, mas nem isso foi impeditivo para que os deixasse correr pelos campos verdes, caíram várias vezes, colheram laranjas, correram atrás das galinhas, sujaram a roupa e os ténis vieram cheios de terra.

Mas nem isso me fez vacilar, uma coisa tenho como certa, a vida sem filtros é muito mais importante que qualquer roupa suja.








Ténis | Pés de Cereja 






Sem comentários:

Publicar um comentário