A sorte procura-se

20.10.20



Quando o Tomás nasceu a palavra ou melhor as palavras que mais ouvi, foram duas: Intervenção Precoce. Não havia tempo para esperar, era começar o quanto antes pois embora houvesse coisas que não fizessem muito sentido, tinham que ser feitas, pois quanto mais estímulos ele tivesse mais potenciaria o seu desenvolvimento.

E se queria que mais tarde fosse aceite na sociedade, levei a intervenção precoce como bíblia para a minha vida. Foi aqui que apostei tudo. E que também me fez abdicar de outras coisas, tudo em prol de um bom desenvolvimento.

Dei-lhe a oportunidade de vivenciar todas as terapias que a meu ver o iam beneficiar. Experimentei muito mas acreditei ainda mais. Confiei!

Mas é preciso perceber o que existe e fazer escolhas. Se acreditamos é confiar e não continuar à procura de respostas que teimam em nunca chegar. É certo que não saberemos se as nossas escolhas serão as mais acertadas mas a vida é mesmo isto.

Uma vez o meu marido disse que não sabia se o que fazíamos era o melhor, mas que preferia tentar, do que viver na incerteza do "se" e não posso estar mais de acordo.

É tendencioso da nossa parte irmos em busca de respostas, mas o excesso de informação pode também a desfocar-nos do que realmente é importante.

Todas as terapias são importantes, mas nem todas se enquadram com a criança ou na dinâmica familiar. É escolher com o coração e com a certeza que fazemos o nosso melhor.

No nosso percurso já contamos com muitas profissionais,  umas que não criei laços, outras que passaram a ser um bocadinho também nossas.

Tive azares e sorte como tudo na vida. E em seis anos percebi o que queria para o Tomás. Uma equipa coesa, que fosse mais além do esperado.

Nem sempre é fácil encontrar, mas encontra-se. É apenas preciso acreditar e experimentar.

A Inês é exemplo disso, ex-estagiária de uma terapeuta que me deixou ótimas memorias. Hoje é a terapeuta do Tomás e do Francisquinho e vai muito além da sua profissão. 

Trabalha com alma e isso nem todos conseguem pois há coisas que não se aprendem em cadeira de faculdade.

A sorte procura-se e acreditem que eu procurei muito para ter a melhor equipa a trabalhar com o Tomás.

Resultado disso é o seu sorriso quando está em terapia.



Desenvolve-T




Sem comentários:

Publicar um comentário