Madeira

26.5.21

Numa tarde embrulhada nas rotinas do dia a dia, o meu marido surpreendeu-me com um convite à Madeira, por momentos hesitei, e os miúdos?!? "Os miúdos ficam, vamos só os dois, depois de tantas coisas que vivemos nos últimos tempos, precisamos de desligar e de estarmos só nós"

E nessa mesma noite marcamos viagem. Falei com a nossa agência - I Go Travel, que nos apresentou de imediato, as melhores soluções. E com a sua ajuda, escolhemos  o Savoy Palace, pela qualidade e beleza que apresentava, além de que o feedback da nossa querida Andreia (I Go Travel) era o melhor.

Adorámos o Hotel. Dos melhores que alguma vez tínhamos estado. Super bonito, com piscinas deslumbrantes e de água aquecida. Só tive pena de não o termos aproveitado mais porque era um verdadeiro sonho.




A Andreia, deu-nos várias dicas de pontos estratégicos a visitar e com base nisso sonhamos acordados até ao dia da ida.

Na mala levamos um caderno em branco, para que pudéssemos de forma livre, fazer o nosso caminho. Apenas tínhamos uma certeza que estávamos a precisar de um tempo a dois, de namoro e de boas conversas.

A juntar às dicas de viagem que já tínhamos, vocês foram incríveis e ajudaram-nos a montar um roteiro super bonito.

Bonito, imponente, é isto que define a Madeira! Como adorámos esta terra bonita!

Vivemos momentos inesquecíveis, a dois, em lugares mágicos, que ficarão para sempre na nossa memória.

Entre montanhas, verdes, paisagens idílicas, a cada passo que dávamos ficávamos mais maravilhados.

Para percorrer os vários lugares alugámos um carro, o que nos deu uma maior liberdade para explorar a ilha ao nosso gosto e ritmo.

Um conselho, a Madeira, é tudo menos plano, por isso aconselhamos que aluguem um carro preparado para curvas e contracurvas constantes, ao contrário de nós que achámos que um "carrinho de bonecas" era o suficiente e no último dia até travões deixámos de ter.

Ficámos com vontade de voltar porque de facto três dias não foram suficientes para ver tudo, ficou tanto por ver, como por exemplo: a Faja dos Padres, Paul da Serra, Pousada da ponta do Sol (diz que tem um por do sol divino), Pico Ruivo e a Levada do Caldeirão Verde.

Ficou também a faltar o Pico do Arieiro, que embora tenhamos ido, não vimos nada. Eu bem tentei, mas fomos mergulhados por um nevoeiro imenso que não nos permitiu ver nada além de nuvens. Isto para não falar que estavam cinco graus e o meu marido de calções e eu de t-shirt. Saímos, congelámos e voltámos para o carro.

No nosso roteiro fez parte:

  • O teleférico, que dá acesso ao miradouro, ao Jardim Botânico, ao Jardim Tropical Monte Palace, à Igreja da Nossa Senhora do Monte e aos famosos carreiros do monte.
Os carreiros do monte é aquela experiência que vale a pena fazer, pela adrenalina. E embora alguma vezes meta respeito é muito giro. São aproximadamente 2kms a descer e quando termina temos de apanhar um táxi (com preço fixo de 10€) ou então subir tudo a pé.



Depois voltámos a descer mas já de teleférico e ficamos por ali a conhecer os pontos históricos do Funchal, as suas ruas estreitas e o emblemático mercado dos Lavradores!! A maior perdição de legumes e de frutas, dá vontade de comprar tudo.
  • Cabo de Girão. Confesso que não sofro de vertigens mas a 589 metros de altura não tive como não ter. Nunca me senti tão vulnerável como ali. Mas aquela paisagem valeu todo o meu "medo".
  • Pico dos Barcelos
  • Igreja de São Martinho
  • Curral das Freiras - Uma vila literalmente no meio das montanhas
  • Calhau da Lapa
  • Na Serra de Água experimentámos a famosa Poncha, na taberna da Poncha.
  • São Vicente
  • Porto Moniz - As piscinas naturais
  • Costa de São Jorge
  • Santana
  • Prainha
  • Ponta de São Lourenço
  • Câmara de Lobos (onde bebemos a Nikita)

A dois, desfrutámos sem pressas da paisagem e da companhia um do outro, e isso incluía não ter horas para almoçar, por isso optámos sempre pelo bolo do caco.

Mas ao jantar procurámos sempre bons restaurantes, fomos a dois, também muito recomendados por vocês: Chalé Vicente e Casal da Penha. O último já ganhou vários prémios Michelin e eu comprovo que era absolutamente divinal.

Termino da forma como comecei, a Madeira é muito bonita e existem locais que nos cortam a respiração, de tão bonitas que são.

Adorámos! E ficou a promessa de voltarmos para terminar o que começamos.

Obrigada a todas as vossas dicas e que nos ajudaram a enriquecer a nossa viagem.

A Madeira é muito mais que isto, deve ser vista pelos vossos olhos para comprovarem tudo o que vos digo.


















1 comentário:

  1. Realmente a Madeira é linda, tivemos a oportunidade de la ir em 2017 quando o nosso filho foi la jogar,ainda não fomos só os dois, e como vcs estamos também ter um tempo a sós. Queremos conhecer os Açores, quem sabe logo.

    ResponderEliminar