Seremos Mães para toda a vida, mas eles só serão crianças uma vez...

25.11.15

"Respira. Serás mãe por toda a vida. Ensine as coisas importantes. As de verdade. A pular poços de água, a observar os bichinhos, a dar beijos de borboleta e braços bem fortes.

Não se esqueça desses abraços e não os negue nunca. Pode ser daqui a alguns anos, os abraços que vocês sinta falta, sejam aqueles que vocês não deu. Diga ao seu filho o quanto você o ama, sempre que pensar nisso.

Deixe ele imaginar. Imagine com ele. As paredes podem ser pintadas de novo, as coisas quebram e são substituídas. Os gritos da mãe ficam. Muitas vezes vocês pode lavar os pratos mais tarde. Enquanto você limpa, ele cresce. Ele não precisa de tantos brinquedos. Trabalhe menos e ame mais. Menos presente e mais presença! E, acima de tudo, respira. Serás mãe por toda a vida. Ele será criança só uma vez."





Um texto tão pequeno mas que diz tanto...

A vida é isto mesmo, uma correria e por vezes todos os segundos valem para o nosso crescimento profissional e deixa no nosso futuro marcas incalculáveis.

Não há dia que passe, que não pense que estou a ser "engolida" pela minha vida profissional e por querer tanto ser "perfeita" em tudo, por vezes o que importa mais na vida acaba por ficar para segundo plano.. talvez porque não sentiremos as consequências no imediato. Uma coisa tenho a certeza a vida não é feita só de email's, de reuniões, de telefonemas, de loiça para lavar, de chão para a aspirar.. a vida é muito mais que isto tudo!!

Há coisas que não abdico, de o acompanhar em todos exames, consultas, terapias, vitórias alcançadas e frustrações mas tenho a plena consciência que podia ainda estar mais presente.

Quinze meses já passaram e ainda estou numa fase de adaptação e de definir prioridades.. espero que em 2017 consiga ter mais horas do dia para ser só Mãe.

A mulher tem a tarefa mais difícil do Mundo, a de ser Mãe, ser Mulher e de ter uma carreira.

E nas vinte e quatro horas do dia é muito difícil atingir a perfeição nessas três áreas. Vivemos para os nossos filhos é uma verdade, mas será que o dinheiro ao fim do mês que ganhamos por horas atrás de um computador vai compensar as horas distantes que estamos dos nossos filhos?!?

Penso que não...

Talvez o T prefira a Mãe mais presente, do que ter todos aqueles brinquedos... não sei... Talvez ele dê mais valor a brincar com a Mãe todos os dias num simples jardim de infância do que fazer uma viagem à Eurodisney.. Não sei...

Equações muito difíceis de resolver... mas que estão sempre presentes na minha cabeça.

Ninguém disse que ser Mãe seria fácil, e eu ainda estou no início... ciente que ainda tenho um longo caminho para desbravar.

Uma coisa eu sei, é hoje que lhe tenho que dar aquele beijo, é hoje que o tenho que carregar ao colo, é hoje que lhe tenho de dar aquele braço, porque o amanhã pode ser tarde...



1 comentário: